Lançamento Thiago Martins de Melo | Livraria da Vila

O maranhense Thiago Martins de Melo é autor de uma obra potente, carregada de signos e questões pós-coloniais. Uma síntese de sua trajetória foi compilada na publicação homônima que será lançada em 8 de outubro, na Livraria da Vila pela Editora Capivara, selo dedicado a títulos de artes visuais, arquitetura e fotografia brasileira, em parceria com a Galeria Leme/AD, focada em arte contemporânea e representante do artista.

Organizado por Samantha Moreira, com coordenação editorial de Ana Carolina Ramos e design de Flávia Castanheira, a publicação abrange o percurso e o universo de produção dos últimos oito anos do artista, cuja produção se desenvolve no campo da pintura e na expansão dessa linguagem com outras mídias.

A publicação traz também uma seleção de cinco artigos inéditos, análise assinadas por autores de diferentes gerações.

Figuram textos como A destruição da arapuca, o jogo dos caçadores canibais e outras notas, do historiador de arte e curador Josué Mattos; Pinturas ambientais – a narrativa pictórica pré-moderna na obra recente de Thiago Martins de Melo, do curador Manuel Neves; Minha voz é flecha ardente nos catimbós que vivem aqui, da cientista social Viviane Vazzi Pedro, Bárbara Balaclava, do pesquisador e curador Moacir dos Anjos e A morte como morte e a morte como vida, do curador Germano Dushá.

Thiago Martins de Melo é dos que, com mais notoriedade, se aplica em discussões polissêmicas e densamente narrativas, intenso teor político e histórico. Com pinceladas vigorosas, que deixam na tela o rastro do pincel ainda carregado com a massa da tinta em relevo, suas pinturas subvertem a limitação bidimensional e por vezes no processo de criação se transformam em instalações.

 

Compartilhar: