Kohei Nawa | Japan House

A arte contemporânea do Japão chega este mês a JAPAN HOUSE São Paulo por meio do trabalho de Kohei Nawa, um dos principais nomes da nova geração de artistas multidisciplinares do país. A casa apresenta ESPUMA | Kohei Nawa, uma instalação mutante.
Localizada no térreo da JAPAN HOUSE São Paulo, esta escultura transitória ficará em um ambiente azul, com iluminação programada para revelar sua constante transformação. Nesta mutação, uma espécie de montanha de espuma ou nuvens se modificarão a cada segundo, como um elemento orgânico em que cada célula desta obra viva estará condicionada ao seu ciclo de nascimento e destruição.
Com curadoria do diretor de programação Marcello Dantas, esta obra reforça a proposta de intercâmbio de conhecimento e técnicas entre profissionais do Brasil e do Japão. Assim como o projeto SANDWICH, um estúdio de Nawa, localizado em Kyoto, onde ele recebe pessoas de todo o mundo para promover o encontro entre artistas e compartilhar suas técnicas inovadoras.
Kohei Nawa se destaca por uma surpreendente atuação multidisciplinar em artes, arquitetura e moda com trabalhos em distintas formas passeando entre esferas, modelagem 3D, artesanato tradicional, técnicas industriais, entre outras. Nawa é um dos artistas que tem trabalhado para apresentar uma visão vanguardista da arte japonesa ao mundo. A obsessão com a experimentação de materiais e produtos químicos tem chamado a atenção pelos diferentes e frequentes usos em trabalhos que realiza.
Aos 42 anos, é um dos artistas mais relevantes do Japão, prova disso é o fato de fazer parte da coleção permanente do Metropolitan Museum of Art, em Nova Iorque, com seu PixCell-Deer#24, da série BEADS. Neste trabalho, itens são cobertos com esferas transparentes, representando células ou pixels, que funcionam como uma espécie de concha de luz que revelam as cores e texturas, dando diferentes percepções de profundidade para cada peça. Na moda, destacam-se trabalhos como o vestido esculpido em jeans, projeto realizado com o desginer Kunihiko Morinaga para a Anrealage, uma iniciativa para a criação de roupas que incorporam tecnologia e tecnicas inovadoras com forte abordagem nos detalhes.
Na série DIRECTION, destaca o impressionante efeito da gravidade com a experimentação de materiais e produtos químicos para a composição de telas aparentemente simples, mas que abrigam um processo meticuloso. Manifold é outro trabalho de destaque do artista, uma enorme escultura em aço e alumínio, de 13 metros de altura feita com 200 esferas e tubos cortados, soldados e moldados e que levou quase três anos para ser criado em workshops na China, Coréia do Sul e Japão. Com formação na Kyoto City University of Art (Quioto) e no Royal College of Art (Londres), o artista tem o budismo e o xintoísmo nativos do Japão como suas primeiras influências.
Complementando a programação, Nawa realiza palestra aberta e gratuita no dia 22 de setembro. Na ocasião, comentará seu processo criativo, estudo de novos materiais, projeto SANDWICH, bem como relação de seus trabalhos com a tecnologia, que vão além do digital.

Compartilhar: