Isabella Cesar | Espaço Cultural Correios Niterói

A rusticidade de paredes antigas sempre exerceu fascínio sobre a artista Isabella Cesar. Tanto é que vem dela uma das fontes de inspiração para seus trabalhos em tinta acrílica sobre linho, explorando em pinceladas rústicas os acidentes do tempo. A partir do dia 12 de junho, ela expõe 20 trabalhos em “Gestualidade”, no Espaço Cultural Correios Niterói, sob curadoria de Edson Cardoso. Um destaque deverá merecer especial atenção do visitante: seis trabalhos estarão em pleno processo criativo, convidando o público a interagir usando pedaços de carvão. Dentre as pinturas em tinta acrílica sobre linho apresentadas, estão telas de formatos variados, de 110 e 140cm, além de um tríptico medindo 40 x 60cm, cada.
Tendo participado de mostras em países como Japão, Alemanha, França, Estados Unidos e até Finlândia, Isabella Cesar realizou sua primeira individual no início do ano no Centro Cultural Correios Centro RJ. Suas pesquisas estão focadas na “pintura a calce” encontrada nas paredes toscanas e no stucco veneziano. Muitas de suas referências têm origem na pintura caiada que viu por onde passou e conviveu, sejam ruínas ou monumentos. A artista se utiliza da técnica pictórica, sobrepondo camadas de tintas que alteram a profundidade das cores envolvidas.

“Minhas inspirações vêm do inverno, da neve, dos países nórdicos, da elegância e da simplicidade dessa atmosfera. Sou uma admiradora do jeito de viver do povo dinamarquês, estudo o estilo Hygge, oriundo da Dinamarca. Hygge é um lifestyle que promove conforto, encantamento e harmonia nos ambientes e nas convivências diárias. Acredito ser possível vivenciar as considerações desse estilo através das minhas obras”, afirma Isabella Cesar.

“Isabella Cesar traz em seus obras uma grande força criativa; seus trabalhos nos remetem a uma profunda viagem ao lúdico, à reflexão. Um trabalho – por que não dizer? – híbrido, nos conduzindo a um lirismo e a uma euforia peculiares”, analisa o curador, Edson Cardoso.

Arte em progresso

As seis peças de linho em grandes formatos que estarão disponíveis para que o público possa rabiscar, desenhar ou mesmo escrever, com pedaços de carvão dispostos no espaço expositivo, integrarão uma série de obras que serão finalizadas pela artista para uma futura exposição. A escolha do carvão não se deu por acaso, uma vez Isabella é uma adepta do montanhismo, adoradora das rochas e dos fósseis. “A energia imantada ali naquele tecido é parte do combustível para o meu processo criativo”, afirma ela. Estas manifestações funcionam como esboço para suas pinceladas, construindo outras histórias a partir delas.

O processo de criação pelas palavras de Isabella Cesar

O ponto de partida para o meu trabalho como artista é a investigação minuciosa das cores e de suas características. O enredo das camadas de tintas empregado nos trabalhos propicia manchas, formas e acontecimentos distintos que introduzem o espectador diretamente com a minha gestualidade como pintora. Ocorre nas pinturas um viajar entre planos. É um viajar na rusticidade da vida extraindo o belo.

Compartilhar: