Iole de Freitas | Instituto Ling

Sou minha própria arquitetura, 2014 - Foto: Sergio Araujo

Com curadoria de João Bandeira, Decupagem reúne 29 obras e 90 documentos que refazem o percurso artístico de Iole de Freitas em mais de 40 anos de atuação. A mostra contempla desde os primeiros trabalhos da artista mineira, criados na década de 1970 em Super 8; passando pelas investigações do espaço real, que buscavam a integração das obras com o ambiente arquitetônico na década de 1980; e pelas produções mais recentes, em estrutura de aço inox recortado. Há ainda esculturas em diversos outros materiais, como fio de cobre e latão, além de fotografias, maquetes e desenhos.

A exposição itinerante estreou em 2018 no Instituto de Arte Contemporânea de São Paulo, o IAC, e ocupou também a Casa Firjan, no Rio de Janeiro, em 2019. Em Porto Alegre, a mostra cronológica chega com três novas obras, sendo uma delas inédita, criada no início de 2020, em aço inox com pintura artesanal, especialmente para ocupar a galeria do Instituto Ling.

Pés,1973 – Foto: Iole de Freitas

Por conta da pandemia, o processo de montagem da exposição foi realizado em um novo formato, com a presença apenas da equipe do Instituto Ling no prédio e com participação remota, feita por ligações de vídeo, da artista, do curador, assim como do arquiteto Marcus Vinícius Santos, responsável pela expografia. O resultado são 25 obras fixadas nas paredes da galeria, uma escultura sobre base e cinco vitrines, dispostas no espaço de exposição, que abrigam a documentação. Já os três filmes que também fazem parte da mostra serão exibidos em outro espaço do centro cultural, dedicado somente à projeção.

“A noção de decupagem, significando ações que produzem continuidades a partir de recortes, poderia caracterizar sumariamente a extensa produção de Iole de Freitas, em mais de quatro décadas de atividade artística – e, paralelamente, a proposta da curadoria. Como se pode ver nas obras e documentos desta exposição, desde os anos 1970 seu trabalho se desdobra em continuidades que, em boa parte, vivem de sua disposição entrecortada. Da faca que avança rompendo um tecido, em um de seus filmes daquela época, até os desvios que tubos metálicos e placas de policarbonato impõem a si mesmos, recortando os grandes espaços onde se instalam enquanto se lançam vigorosamente neles, em obras mais recentes”, destaca Bandeira em seu texto curatorial (o texto completo está disponível em bit.ly/2JTyaGd).

Aramão, 1983 – Coleção Andrea e Jose Olympio – Foto: Sergio Araujo

O retorno do instituto ling

Dez meses depois de cancelar atividades presenciais por conta da pandemia, o Instituto Ling inicia sua reabertura gradual no dia 4 de fevereiro, quinta-feira, seguindo protocolos sanitários e recebendo uma nova exposição: a mostra cronológica Decupagem, da artista plástica mineira Iole de Freitas. Para garantir a segurança do público e dos colaboradores, o acesso ao centro cultural será feito somente com agendamentos pelo site da instituição, com horários disponíveis para quintas, sextas e sábados, às 14h, 15h30 ou 17h, sendo permitida a entrada de grupos de até cinco pessoas por vez.

As visitas serão gratuitas, guiadas pela equipe do programa educativo do centro cultural e terão duração total de uma hora, podendo incluir também uma passagem pelas obras do acervo permanente de arte contemporânea do Instituto Ling. Haverá intervalos de 30 minutos entre cada visitação, para que possa ser feita a higienização adequada dos espaços e para que os diferentes grupos não se cruzem, respeitando o limite de capacidade reduzida do local. Além disso, a distribuição dos catálogos da exposição será feita virtualmente, com o envio da versão digital para o e-mail dos visitantes.

Exposição “Decupagem” no Instituto Ling – Foto: Fábio Del Re: VivaFoto

As medidas preventivas e os protocolos sanitários foram definidos a partir dos regulamentos e orientações emitidos até o momento pela Organização Mundial da Saúde, autoridades nacionais, estaduais e locais, e também com recomendações de profissionais da área da saúde do Hospital Santa Casa de Porto Alegre, que prestou consultoria para o centro cultural.

Mesmo após a reabertura do prédio, o Instituto Ling manterá a intensa agenda de atividades on-line que vem sendo oferecida para o público desde maio de 2020. A maior parte da programação virtual é gratuita, e inclui aulas, bate-papos, painéis e palestras que abordam temas como literatura, música e cinema. Entre as programações virtuais já confirmadas está o projeto Mini Cine, que está disponível no site do centro cultural, com uma seleção de curtas-metragens escolhidos dentro do maior festival de cinema on-line do mundo: o My French Film Festival. São cinco produções com a temática da família, eleitos por Manu Fetter, da LORA, plataforma de curadoria e experiência de cinema independente. Os curtas podem ser assistidos gratuitamente até o dia 15 de fevereiro.

Já as atividades musicais estão sendo planejadas no formato híbrido, com a possibilidade do público escolher se prefere acompanhar ao vivo, no conforto de casa, ou diretamente do Salão de Eventos do Instituto Ling, que opera com capacidade reduzida. Nesse formato, devem ser realizados shows e concertos mensais, com artistas internacionais, nacionais e locais selecionados a partir da curadoria da Branco Produções. O primeiro deles já está confirmado para o dia 6 de fevereiro, sábado, às 20h, com uma apresentação inédita do projeto Violões do Sul, que reúne três referências gaúchas do instrumento, representantes de diferentes gêneros: Mathias 7 Cordas e o choro brasileiro, Neuro Júnior e o violão nativista e Thiago Colombo com o violão erudito. As Audições Comentadas de Jazz, programação apresentada pelo jornalista Paulo Moreira, que conta com canjas musicais ao vivo, também estreará no formato híbrido no próximo dia 18, às 19h30, com aula musical em homenagem a Tom Jobim e pocket show com o casal de músicos James Liberato e Ana Cris Bizarro interpretando alguns clássicos do maestro. Os ingressos podem ser adquiridos no site www.institutoling.org.br.

Exposição “Decupagem” no Instituto Ling – Foto: Carlos Stein: VivaFoto

Além das atividades musicais, o Instituto Ling também terá uma programação inédita em formato híbrido: um programa de formação em arte e tecnologia, realizado em parceria com o Tecnopuc Crialab, laboratório do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS. Com a intenção de formar novos públicos e refletir sobre a potencialização da arte nos ambientes digitais, o projeto será oferecido de forma gratuita. A primeira etapa será realizada de abril a julho, com aulas teóricas, expositivas e dialogadas, que serão transmitidas ao vivo e on-line semanalmente, abordando temas como consumo da cultura em tempos de transformação digital e o impacto das novas tecnologias no desenvolvimento de produtos e serviços da economia criativa. Já o segundo semestre contará com encontros presenciais, com aulas práticas em laboratórios de criação e o desenvolvimento de um novo produto, serviço ou negócio envolvendo arte e tecnologia.

A volta das atividades presenciais no centro cultural ainda inclui a reabertura da loja Pra Presente, que valoriza e comercializa peças feitas à mão, idealizadas e produzidas por artesãos, artistas e designers de diferentes regiões do Brasil. O acesso à loja será feito somente com agendamento prévio com a proprietária Elisa Craidy pelo WhatsApp 51 3061.5186. Também estão disponíveis as locações dos espaços do prédio para eventos corporativos de até 45 pessoas, seguindo os protocolos municipais e estaduais.

 

Compartilhar: