Investigação do agora | MARGS

MARGS traz a público duas pesquisas que oferecem olhares críticos sobre o Acervo Artístico do Museu

Projeto “Investigações do agora” será realizado nas redes sociais do MARGS, compartilhando análises e estatísticas do grupo de pesquisadoras Mulheres nos Acervos e da pesquisadora Izis Abreu
Com postagens de conteúdos ao longo da semana, iniciativa integra programação do Dia Estadual do Patrimônio Cultural 2020, que tem como tema “Narrativas abran(gentes): memórias e identidades”

Dentro da programação no mês de agosto do Dia Estadual do Patrimônio Cultural 2020, o Museu de Arte do Rio Grande do do Sul (MARGS) dá início nesta semana ao projeto INVESTIGAÇÕES DO AGORA, apresentando duas pesquisas que oferecem olhares críticos sobre o Acervo Artístico do Museu, e cuja pertinência se dá pela atualidade e urgência das questões que mobilizam.
Uma delas é o projeto Mulheres nos Acervos, que investiga a presença de artistas mulheres nas coleções públicas de arte presentes em Porto Alegre, e cujo estudo realizado a partir do acervo do Museu forneceu as bases para a curadoria da exposição “Gostem ou não – Artistas mulheres no acervo do MARGS”, inaugurada em dezembro de 2019.

A segunda é a realizada pela pesquisadora Izis Abreu no mestrado em Artes Visuais — História, Teoria e Crítica da UFRGS, na qual analisa a representação visual e a representatividade de sujeitos racializados como negros e negras em acervos artísticos públicos em Porto Alegre, como o MARGS.

Durante esta semana, de 10.08 a 16.08.2020, estatísticas e análises produzidas por ambas as pesquisas serão compartilhadas em conteúdos com postagens nas redes sociais do MARGS:
Instagram: www.instagram.com/museumargs
Facebook: www.facebook.com/museumargs

Argumento “INVESTIGAÇÕES DO AGORA”

O Dia Estadual do Patrimônio Cultural foi criado no Rio Grande do Sul em 2019, e neste ano propõe uma reflexão a partir do tema “Narrativas abran(gentes): memórias e identidades”.

No caso dos museus, a proposta dialoga com um debate que tem sido estabelecido nos últimos anos, sobre como as instituições se relacionam com os contextos sociopolíticos e como respondem a questões envolvendo inclusão, diversidade, pluralidade e representatividade.

Afinal, cada vez mais se entende as instituições museológicas como espaços polifônicos, promotores de diálogos críticos e com uma atuação socialmente responsiva.

A partir dessa compreensão, e tendo em conta a temática do Dia Estadual do Patrimônio 2020, celebrado no dia 17.08, o MARGS dá início ao projeto INVESTIGAÇÕES DO AGORA, que trará a público duas pesquisas que oferecerem olhares críticos sobre o Acervo Artístico do Museu, e cuja pertinência se dá pela atualidade e urgência das questões que as movem e fundamentam.

São investigações comprometidas com o exame das relações assimétricas e hierárquicas de poder que estão colocadas no Acervo Artístico do MARGS, em termos de presença e representatividade, com enfoque nos processos de visibilidade e invisibilidade, sobretudo quanto a gênero e raça, permitindo identificar narrativas alternativas que questionam a historiografia canônica da arte que é tida como oficial.

Acompanhe nossas postagens para conhecer essas duas pesquisas. Queremos convidar os nossos públicos a uma reflexão conjunta sobre as questões que serão expostas, entendendo que é responsabilidade da instituição repensar permanentemente sua atuação, tendo em vista o seu compromisso com a sociedade, a atualidade e a circunstância histórica, bem como com a promoção de valores democráticos e cidadãos. Os conteúdos serão divulgados nesta semana, de 10.08 a 16.08.2020, nas redes sociais do Museu.

As pesquisas

> Mulheres nos Acervos é uma pesquisa colaborativa em história da arte de Cristina Barros, Marina Roncatto, Mel Ferrari e Nina Sanmartin. Em 2019, o projeto promoveu ações para divulgar seus resultados quantitativos e qualitativos, com exposições, programas educativos e falas públicas em três das cinco instituições estudadas: Pinacoteca Aldo Locatelli, Pinacoteca Ruben Berta e MARGS. Recentemente, o projeto foi indicado ao 13º Prêmio Açorianos de Artes Plásticas em três categorias (curadoria, acervos e ações de difusão e inovação)

> Izis Abreu é bacharela em História da Arte e mestranda em Artes Visuais – História, Teoria e Crítica (UFRGS). Investiga as visualidades e visibilidades de sujeitos racializados como negros em acervos públicos de Porto Alegre, concentrando-se nas intersecções entre arte, ideologia, política, raça e gênero, informada por teorias feministas negras e decoloniais. É servidora do Estado e integra o Núcleo Educativo e de Programa Público do MARGS.

O Acervo Artístico do MARGS

O Acervo Artístico do MARGS reúne mais de 5.000 obras de arte, desde a primeira metade do século XIX até os dias atuais, abrangendo diferentes linguagens das artes visuais, como pintura, escultura, gravura, cerâmica, desenho, arte têxtil, fotografia, instalação, performance, arte digital e design, entre outras. Esse acervo de arte do Museu é composto por arte brasileira, com ênfase na produção de artistas gaúchos, e também por obras de artistas estrangeiros, da qual conta com nomes significativos da arte mundial.
SERVIÇO

INVESTIGAÇÕES DO AGORA

10.08 a 16.08.2020, nas redes sociais do MARGS:
Instagram: www.instagram.com/museumargs
Facebook: www.facebook.com/museumargs

Compartilhar: