Inauguração da SPITI. | Leilão da coleção de Regina Pinho de Almeida

A SPITI. chega ao mercado cultural e se apresenta como a mais nova alternativa de fomento à arte para colecionadores e formação de novos públicos. Uma união das experiencias de Renato Magalhães Gouvêa Jr. e Fabio Cimino com reconhecida trajetória no segmento, a SPITI. (Σπίτι) – nome que significa ‘casa’ em grego, referência aos leilões da Grécia Antiga – possui em seu conceito base a intenção de ressignificar o universo dos leilões com uma fusão entre o contemporâneo e a tradição.

A SPITI. nasce trazendo como princípio fundamental a dignificação da obra de arte. O manejo de uma obra deve se dar a fim de exaltar o que ela realmente é: um fragmento da História. Como definiu Renato Magalhães Gouvêa, há 42 anos, um leilão é “o espaço por onde o saber de uns e o interesse perquiridor de outros caminham para suprir lacunas”.

O mercado de arte brasileiro está pronto para ser redirecionado tanto para fortalecer os colecionadores tradicionais, quanto para abrir espaço para que novos surjam. Por isso, a nova casa coloca-se como catalisadora dessa mudança. Através de uma curadoria original e cuidadosa, cada leilão será um encontro que celebra o poder de encantamento contido em cada uma das obras.

Em seu leilão inaugural, a SPITI. foi escolhida para transformar uma significativa parte do acervo pessoal de Regina Pinho de Almeida em um legado cultural de valor indefinível. O acervo da colecionadora, uma das maiores influências do mercado de arte brasileiro e figura atuante em instituições como MAM/SP e MASP como conselheira, reflete a originalidade e a diversidade que são as características mestras de sua coleção. Amealhado nos últimos 20 anos, o acervo contém ampla variedade de técnicas e obras. A singularidade do leilão se encontra, justamente, nessa fusão nada óbvia, e que foi cuidadosamente construída ao longo dos anos. Sua coleção foi recebida com a certeza basilar do seguinte princípio: uma obra de arte deve ser manejada de maneira a dignificá-la, ressaltando suas singularidades para que não apenas seu corpo físico seja passado adiante, mas também o seja a sua história.

Um recorte com 95 obras da coleção pessoal de Regina Pinho de Almeida, apresentando técnicas diversas como pinturas, esculturas, fotografias, obras sonoras, grafittis, colagens, aquarelas, desenhos, objetos e outras, oferecem um panorama da produção de Olafur Eliasson, Damián Ortega, Ivens Machado, Sandra Cinto, Cláudia Andujar, Tomás Saraceno, Edgard de Souza, Barrão, Iván Navarro, Nuno Ramos, Mauro Restiffe, José Rufino, Iole de Freitas, Leda Catunda, Lucia Koch, Chelpa Ferro, Tatiana Blass, Artur Lescher, Tomoshigue Kusuno em um total de 76 artistas, alguns com valor de mercado acima de meio milhão de reais. O comando do evento fica a cargo do leiloeiro Roberto Magalhães Gouvêa.

Regina Pinho de Almeida a coleção

A atuação da colecionadora no cenário artístico é reconhecida e respeitada. Contribuindo para a estruturação e manutenção do próprio cosmos artístico, Regina Pinho dá à SPITI. a possibilidade de consolidar a perpetuação de seu trabalho.

Em 2010, Regina Pinho de Almeida fundou o ICCo, Instituto de Cultura Contemporânea, organização sem fins lucrativos e braço institucional da Casa de Cultura do Parque, inaugurada em 2019. As duas instituições compartilham o mesmo ideal e ampliam seus campos de ação, articulando estratégias comuns a fim de criar um ambiente mais plural para o diálogo contemporâneo. Em busca de sustentabilidade e perenidade para suas iniciativas, sua intenção é, a partir do resultado desse leilão, amealhar recursos necessários para a criação de fundo patrimonial – endowment – como contribuição pessoal, destinado inteiramente às instituições parceiras. Dessa maneira, cumprirá seu papel com ainda mais maestria: estimular o ecossistema artístico e contribuir para a formação de indivíduos como agentes transformadores.

O primeiro leilão

O leilão inaugural da SPITI. tem foco dirigido ao mercado de arte contemporânea nacional e internacional. O acervo, que tem ampla variedade de técnicas e obras, passeia entre expoentes da arte brasileira e do circuito mundial. O evento ocorrerá tanto de maneira presencial quanto online através do site http://www.spiti.auction. Lances prévios serão aceitos através do mesmo site.

A SPITI. tem sua sede própria no Jardim Europa, mas optou por ter leilões volantes. Cada evento ocorre em endereço diferente conforme definição prévia da curadoria. O local escolhido para sediar o primeiro leilão é o Taller Zaragoza, no Jardim Europa, em São Paulo. O antigo ateliê do artista espanhol radicado no Brasil José Zaragoza, foi pensado para celebrar sua jornada como artista plástico, publicitário, cineasta, designer, ilustrador e fotógrafo. A exposição com as 96 obras do leilão estará montada nesse endereço, com abertura no dia 09 de outubro e seguindo com a visitação até o dia 17 do mesmo mês.

Compartilhar: