Glória Lins | Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

Reaberto este mês, o Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, no Humaitá, inaugura, neste sábado (26), a exposição “Sarahmaga”, de Glória Lins (1935-2020).

Com curadoria e produção de Marta Lins, filha de Glória, também conhecida como Sarahmaga, a individual reúne 30 desenhos digitais produzidos entre 2009 a 2019. Essa é a primeira vez que os trabalhos da artista serão exibidos após seu falecimento, aos 85 anos.

Glória passou a assinar suas obras como Sarahmaga depois que o professor Rossini Perez comparou sua escrita com a do autor português José Saramago. Em sua vida, ela explorou várias técnicas, como desenho em carvão, nanquim, gravuras em metal e bordados. Aos 75 anos, aprendeu a usar programas de ilustração no computador e passou a fazer desenhos digitais.

“Minha mãe era multitécnica e estava sempre muito bem informada. Com 40 anos, após o nascimento do filho caçula, passou a dedicar seu tempo à arte. O mundo dela estava muito ligado à casa e família, cotidiano retratado em suas obras”, diz Marta Lins.

Formada em Farmácia pela UFRJ, Glória Lins iniciou sua carreira artística na Oficina do Ingá, com a professora Ana Letícia. Frequentou a Oficina do MAM, com Rossini Perez, a Escola de Artes Visuais do Parque Lage, com Charles Watson, e estudou pintura com Kate Shepherd e Gianguido Bonfanti. Também participou de salões cariocas e nacionais com suas obras de gravura em metal.

As peças expostas estavam na sua antiga casa, em Ipanema. Além delas, há um acervo com cerca de cinco mil desenhos em papel. Parte deste material é vendido em feiras livres e pelas redes sociais da artista.

Compartilhar: