Germana Monte-Mór | Galeria Estação

A artista Germana Monte-Mór tem participado, com entusiasmo, das atividades da Galeria Estação dirigidas a artistas brasileiros autodidatas. Foi colaboradora de Vilma Eid ao realizar pesquisas e curadoria de algumas das exposições, contribuindo para o esforço que acabou por diluir as barreiras entre a arte dita “popular” e a produção contemporânea.
Agora a Galeria Estação abre seu espaço para trazer as recentes pinturas da artista, nesta exposição com curadoria de Rodrigo Naves. São cerca de 40 pinturas que aprofundam a sua experiência com a cor, diferentemente de séries mais conhecidas, nas quais, construía, com asfalto, percursos de luz e sombras.
Em apenas quatro exposições anteriores Germana havia empregado timidamente a cor:  Centro Universitário Maria Antonia (2002), Paço Imperial (2002-3), Bienal do Mercosul (2005) e EstaçãoPinacoteca (2005). Segundo Naves, a presença mais luminosa das cores nesta mostra na Galeria Estação é um marco significativo na trajetória da artista contemporânea. “Sem abrir mão daquela experiência difícil de um mundo que se recusa a se transformar em narrativa, Germana acrescenta a ele uma leveza, pois, ao suprimir, com as cores, um pouco de seu peso e de sua impenetrabilidade, torna-o mais generoso em seus contatos com a realidade circundante”, afirma Naves.
Para ele, ainda, os trabalhos também ganham uma nova dinâmica, diferente daquela sugerida pelo vitalismo orgânico das obras anteriores. “Os desenhos se mostram com uma variação de planos mais rica, embora apenas uma ou duas cores por vez sejam trazidas à convivência com o asfalto”.
 
 

Compartilhar: