Galvão | Marcia Barrozo do Amaral

Há dois anos o consagrado Galvão vem trabalhando em seus novos relevos onde usa a madeira como suporte e cores fortes para dar o contraste. Sua última exposição aqui no Rio foi na Galeria Marcia Barrozo do Amaral, em 2013, mesmo lugar que receberá seus 16 trabalhos inéditos a partir do dia 9 de novembro.
Conhecido como uma das referências mais importantes quando falamos de trabalhos em madeira, o artista carioca apresenta obras de cerca de 70 por 70 cm que expressam o aprofundamento do caminho que vem trilhando desde a década de 50, quando iniciou sua trajetória nas artes plásticas. Os meticulosos relevos desta exposição nunca apresentados ao público sugerem diferentes tons de madeira como o cedro, vinhático, pau marfim, imbuia, entre outras, que se misturam com cores vibrantes (tinta acrílica) tais como laranja, diferentes tons de azul, bordô, verde, preto e cinza chumbo. Em seu atelier em Muri (Nova Friburgo) o artista carioca, expõe uma série de variações sobre um tema, um conjunto de obras que representam uma só linguagem. Segundo Marcia Barrozo do Amaral, Galvão consegue seguir o mesmo caminho trazendo resultados distintos que expressam um aprofundamento do trabalho de seu trabalho.
Galvão começou sua trajetória em Paris, quando foi estudar sociologia da arte em Sorbonne. Lá trabalhou com o pintor húngaro Victor Vasarely, um expoente da arte abstrata do século 20. Com exposições individuais em Londres, Paris, Madrid e Buenos Aires, além das coletivas espalhadas pelo mundo, o artista também frequentava os ateliês de Sergio Camargo e Yvaral. Galvão possui trabalhos em coleções como as do Centre Cultural de l´Arsenal, na França; Museu Satoru Sato, no Japão; Mobil Madi Museum, na Hungria; Museu de Arte Moderna – RJ; Museu Nacional de Belas Artes – RJ; Museu de Arte da Pampulha – BH; Museu do Artista Brasileiro – Brasília; Museu de Arte Contemporânea – Niterói; MuBE – SP, entre outros. Ele também assina obras monumentais situadas em diferentes locais no Rio de Janeiro e São Paulo e já recebeu prêmios como na 13ª Bienal de São Paulo e no 31º Salão Paranaense. Seus trabalhos estarão na próxima Arco, uma das principais feiras de arte que acontece em Madrid, em fevereiro de 2017.

Compartilhar: