Festival ZUM online

Rosana Paulino

Organizado pela revista de fotografia do Instituto Moreira Salles, o Festival ZUM chega à quinta edição, em formato virtual. O evento gratuito acontece nos dias 11, 12 e 13 de dezembro (sexta, sábado e domingo) no canal de YouTube da revista, com intérprete de libras. Na ocasião, será lançada a ZUM #19 em versão impressa (release em anexo).

O festival reúne artistas, curadores e intelectuais brasileiros e internacionais em conversas sobre temas como o racismo na história da arte, a violência na América Latina, a produção artística indígena, as experiências feministas no contexto da contracultura, a manipulação da imagem por regimes políticos, entre outros. As falas dos convidados internacionais contarão com tradução simultânea.

Entre os participantes, estão o artista chileno Alfredo Jaar, o artista Denilson Baniwa, o ativista e líder indígena Ailton Krenak, a artista e escritora americana Carmen Winant, a historiadora Lilia Schwarcz, a artista Rosana Paulino e a artista mexicana Teresa Margolles. Todas as falas serão gravadas e disponibilizadas posteriormente nos canais da revista.

A programação começa no dia 11 de dezembro (sexta-feira), às 18h30, com uma aula aberta ministrada pela historiadora Lilia Schwarcz. A pesquisadora comentará como os regimes políticos criam e manipulam símbolos para legitimar seu poder. Ela traça um panorama histórico, com exemplos do Brasil Império, passando pelos Estados fascistas do século 20, até governos atuais.

Em seguida, das 20h às 21h30, acontece a mesa de lançamento da ZUM #19, com a presença da artista Rosana Paulino e da filósofa Denise Ferreira da Silva, diretora do The Social Justice Institute. No debate, Paulino comentará seu trabalho mais recente, desenvolvido para a ZUM #19. Em Natureza brazileira, a artista sugere que a suposta vocação geométrica da arte latino-americana ajudou a ocultar o passado colonial e escravocrata da região.

Alfredo Jaar – Foto: Mariana Garay

O festival continua no dia 12 de dezembro (sábado), às 15h, com um bate-papo com a artista norte-americana Carmen Winant e Roxana Marcoci, curadora de fotografia do Museu de Arte Moderna de Nova York. Expoente da nova fotografia, Winant falará sobre dois livros seus: Meu parto (2018), um ensaio sobre a experiência de sua primeira gravidez, e Notas sobre a alegria fundamental (2019), no qual analisa os arquivos fotográficos de comunidades alternativas fundadas por mulheres nas décadas de 1970 e 1980, nos EUA. A ZUM #19 traz um ensaio deste último livro.

Às 17h, o artista chileno Alfredo Jaar conversa com Thyago Nogueira, editor da ZUM e coordenador da área de Fotografia Contemporânea do IMS. Jaar discutirá a produção e circulação de imagens na atualidade, temas abordados em sua produção. Em um mundo assolado por informações, qual é a responsabilidade dos espectadores? Quais são as implicações políticas do ato de olhar?

No dia 13 de dezembro (domingo), às 15h, a programação continua com um debate entre a artista mexicana Teresa Margolles e a curadora e crítica Gabriela Rangel, diretora do Malba. As duas conversarão sobre o trabalho de Margolles, publicado na ZUM #19, que investiga as consequências sociais relacionadas ao tráfico de drogas, à guerra civil e à violência contra as mulheres no México.

O festival encerra às 17h, com um bate-papo com o intelectual e líder indígena Ailton Krenak e o artista Denilson Baniwa, vencedor do Prêmio Pipa 2019, cujo trabalho também aparece na nova edição da ZUM. Os dois debaterão como resistir aos processos de apagamento da memória indígena pelo sistema da arte ocidental.

Compartilhar: