Federico Herrero | MAC Niterói

O costarriquenho Federico Herrero leva para o salão principal do MAC a exposição “Tempo aberto”, que apresenta a relação entre pintura, instalação, site specificity e efemeridade, borrando a linha onde a mostra começa e onde termina, não apenas no sentido de espaço ou campo, mas também em sua ligação com o tempo. Trata-se da primeira individual dele em uma instituição no Brasil.

No icônico projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer em Niterói, o trabalho do artista se desenvolve a partir dos murais do local. Ele pinta as paredes e o teto. Podem representar fragmentos de um todo maior, com significado aberto e ligado por poéticas formais e narrativas que se espalham como campos para fora do museu, para a paisagem, e vice-versa. Essas formas instantâneas dependem da interação com o espaço e seu entorno.

Para Federico, algumas das propriedades da tinta, como cor, matiz, brilho, leveza, transparência, fluidez e os fenômenos físicos que se instalam no espaço a partir delas são como pessoas e sociedades.

 

Compartilhar: