Entreolhares – O Potencial do Vídeo para Novas Dinâmicas Sociais | Itaú Cultural

Nos dias 5 e 20 de outubro, o Itaú Cultural oferece mais dois encontros da série de formação em artes visuais Entreolhares. Dando continuidade à parceria com a Bienal de São Paulo o foco está em temas estimulados por obras exibidas na 32ª edição desta mostra internacional, este ano chamada Incerteza Viva. No dia 5 de outubro (quarta-feira), às 20h, o encontro O Potencial do Vídeo para Novas Dinâmicas Sociais é realizado no instituto para debater protagonismos sociais nas produções audiovisuais sobre a causa indígena e afrodescendente. A conversa é ilustrada por meio da videoinstalação do Vídeo nas Aldeias, exibida na Bienal e por trabalhos de integrantes do coletivo Frente 3 de Fevereiro.
Ambos os encontros contam com interpretação em Libras, a Língua Brasileira de Sinais. O primeiro deles, O Potencial do Vídeo para Novas Dinâmicas Sociais, debate como as ações coletivas encontram na produção audiovisual e nos recursos midiáticos um ponto de resistência e são potencial ferramenta para reivindicar novos protagonismos sociais. Para isso, reúne a coordenadora nas oficinas de formação audiovisual junto a comunidades indígenas do Vídeo nas Aldeias Ana Carvalho e o importante líder indígena Hunikuin e também assessor de assuntos indígenas do governo do Acre, Zezinho Yube.
Os dois são membros do Vídeo nas Aldeias, ação precursora na produção audiovisual indígena no Brasil presente nesta Bienal com a videoinstalação O Brasil dos Índios: um arquivo aberto. A eles se unem o diretor da editora e produtora Invisíveis Produções, Daniel Lima, que também é membro da Frente 3 de Fevereiro, grupo transdisciplinar de pesquisa e ação direta acerca do racismo na sociedade brasileira. A Atriz-MC, diretora musical, pesquisadora e slammer Roberta Estrela D’Alva, uma das fundadoras do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e integrante da Frente 3 de Fevereiro, completa o grupo. A mediação é da pesquisadora, curadora e professora de arte contemporânea, Ana Maria Maia, que este ano lançou o livro Arte-veículo: intervenções na mídia de massa brasileira.

Compartilhar: