Entre Dois | Museu de Arte do Rio – MAR

FOTO: Luciana Ponso

Três meses antes de sua abertura, o 19º Dança em Trânsito realiza neste sábado, 31 de julho, a intervenção dançada Entre Dois, criada especialmente para a exposição Imagens que não se conformam, em cartaz no Museu de Arte do Rio – MAR. Iniciativa do Instituto Cultural Vale, a performance, realizada em parceria com o MAR, dará origem a uma videodança a ser exibida em novembro, durante o Dança em Trânsito.

Na apresentação de 20 minutos, a coreógrafa Flávia Tápias explora a relação entre dois: entre a dança e o espaço; entre as obras e os artistas; entre a história e os movimentos. Flávia também estará em cena ao lado dos artistas convidados Renata Barcellos e Jorge Ferreira, com figurinos assinados pelas designers de moda Luiza Marcier e Olívia Lodi. A performance será registrada pela videoartista Luciana Ponso para apresentação na 19ª edição do festival. Entre Dois poderá ser vista em três horários ao longo do dia: 13h, 15h e 17h.

“A coreografia procura, dentro das obras inusitadas, apropriar-se delas como um desejo de ligação. Um diálogo vai sendo criado, contextualizando os movimentos e trazendo à tona personagens, imagens, histórias e colocando o público em um mergulho poético: tudo o que é humano ressona de formas diferentes em cada um, a vida sendo gestos em movimento”, define Flávia.

FOTO: Luciana Ponso

Inaugurada em 29 de maio, Imagens que não se conformam é fruto da parceria entre o Instituto Cultural Vale, mantenedor do MAR, com o IHGB e reúne cerca de 200 itens, entre fotografias, manuscritos, pinturas, lambe-lambes, esculturas e vídeos, com curadoria de Marcelo Campos, curador-chefe do MAR, e Paulo Knauss, sócio do IHGB.

Na coletiva destacam-se duas raridades da Coleção IHGB – o crânio do homem de Lagoa Santa, descoberto no século XIX, pelo paleontólogo dinamarquês Peter W. Lund, e o Marco da Cananeia, lápide do século XVI, um dos vestígios mais antigos da colonização portuguesa no Brasil. Além dessas e de outras peças históricas dos séculos XIX e XX, a exposição apresenta também obras contemporâneas assinadas por Berna Reale, Daniel Lannes, Diambe da Silva, Edgar Duvivier, Gê Viana, Marcela Cantuária, Moisés Patrício, Paulo Nazareth, Rubem Valentim, Sallisa Rosa, Sofia Borges, Uýra Sodoma, entre outros artistas.

“O encontro entre o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o Museu de Arte do Rio nos conduz a muitos outros encontros possíveis por meio da história e da arte. A conexão com o Projeto Dança em Trânsito e os seus desdobramentos através da dança é um lindo exemplo das inúmeras possibilidades de diálogo que só a Cultura é capaz de proporcionar”, afirma Christiana Saldanha, gerente do Instituto Cultural Vale.

A 19ª edição do Dança em Trânsito começa em 27 de outubro e segue até dezembro em formato híbrido, presencial e online, percorrendo diversas cidades. Mais informações serão divulgadas em breve. Apresentado pelo Ministério do Turismo, o festival internacional é patrocinado pelo Instituto Cultural Vale e Engie.

Compartilhar: