Documentário sobre Anico Herskovits | MARGS

Anico Herskovits, Não se fazem mais famílias como antigamente | Foto: Acervo MARGS

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul — MARGS anuncia o lançamento do documentário “Anico Herskovits, a arte do cotidiano”, que será disponibilizado a partir de terça-feira, 26.01.2021, para ser assistido em streaming no canal do MARGS no YouTube (http://abre.ai/youtubemargs). Paralelamente, ao longo de fevereiro, conteúdos sobre a artista, sua obra e o filme serão postados nas redes sociais do Museu (Instagram e Facebook), com o objetivo de ampliar e enriquecer a experiência proporcionada pelo curta.

O filme dá sequência à série “Acervo MARGS”, que já abordou a trajetória do pintor Britto Velho e do fotógrafo Luiz Carlos Felizardo. O objetivo do projeto, realizado pela Associação dos Amigos do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (AAMARGS), é apresentar e homenagear artistas que integram o Acervo Artístico do Museu.

Com direção de Gilberto Perin e Emerson Souza, o documentário traça um perfil da gravadora, ilustradora e desenhista Anico Herskovits que nasceu em 1948 em Montevidéu (Uruguai), duas semanas após seus pais – imigrantes judeus – chegarem da Europa, depois que os avós foram mortos nos campos de concentração na Hungria. Anico se mudou para o Brasil com seis anos e, em Porto Alegre, frequentou o Atelier Livre da Prefeitura e estudou no Instituto de Artes da UFRGS.

No filme, a artista narra sua trajetória a partir de suas obras e de uma visita às Reservas Técnicas do MARGS, onde tem gravuras que integram o Acervo Artístico do Museu. Além disso, fala sobre as técnicas de gravura e relata sua participação nos livros “&” e “Cidade Imaginária”, em parceria com o escritor Jorge Rein. Anico conta, ainda, detalhes sobre seus temas preferidos, como o cotidiano em casa, com flores, cães, gatos; além da temática social em obras que retratam operários da construção civil, catadores de lixo, artistas e cenas do dia a dia.

Sobre Anico Rosalia Herskovits

Anico Herskovits no seu atelier | Foto: Divulgação

Nasceu em Montevidéu, Uruguai, em 07/12/1948. Estudou no Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre e graduou-se na UFRGS. Expõe individualmente desde o ano de 1974, tendo realizado várias exposições individuais e participado de diversas exposições coletivas no país e no exterior. Recebeu vários prêmios destacando-se o do 38º Salão Paranaense (1981). Foi artista convidada da 3ª Bienal de Gravura de Santo André (2005) e artista homenageada na 2ª Bienal Internacional Ceará de Gravura (2006). Publicou o livro Xilogravura Arte e Técnica em 1986. Foi curadora da mostra A gravura artística no Rio Grande do Sul,  no Centro Cultural Erico Veríssimo, Porto Alegre, nos anos 2007, 2008 e 2009, pelo qual recebeu o Prêmio Açorianos de Curadoria. No ano de 2012, a convite da Santa Casa realizou uma exposição que resultou num álbum de imagens da Santa Casa. No ano de 2014, como incentivo do Fumproarte, realizou exposição na galeria Gestual e produziu o livro “Cidade Imaginária”, pelo qual recebeu os  prêmios Açorianos de exposição e o Jabuti de produção gráfica. Em 2016, expôs sob curadoria de Angélica de Moraes na Caixa Cultural São Paulo uma amostra de seu percurso gráfico. Vive e trabalha em Porto Alegre.

Sobre os diretores

Gilberto Perin (Guaporé, RS, Brasil). Formado em Comunicação Social pela PUCRS. Fotógrafo, roteirista de documentários e ficção, diretor de cena. Exposições recentes: em 2019, individual em Lisboa, “Sem Identificação e Genebra, “Fake Photos; em 2018, “Linha d’Água” e “Sem Identificação” no Museu de Arte do Rio Grande do Sul; e a coletiva “Queer Museum”, em Porto Alegre e Rio de Janeiro (2017 e 2018). Dois livros: “Camisa Brasileira” e “Fotografias para Imaginar”. Fotos em jornais e revistas brasileiras e estrangeiras. Fotografias em museus, entidades culturais e coleções particulares, no Brasil e Exterior. Na área do audiovisual, dirigiu curtas, médias e um longa-metragem de ficção; dirigiu e roteirizou clipes, programas musicais para a televisão e dirigiu dois DVDs (“Casa da Bossa – Tom Jobim e Xitãozinho” e “Chororó ao vivo em Garibaldi”). É roteirista da série “Dark Soccer” (junto com Paulo Nascimento e Tailor Diniz), em exibição na Amazon Prime Video.

Emerson Souza (Porto Alegre, RS, Brasil). Editor, produtor e diretor com mais de 15 anos de experiência no mercado audiovisual, atuando em produções publicitárias, documentários e vídeos institucionais. Na televisão, trabalhou como editor no jornalismo e, atualmente, é responsável pela edição e finalização do programa Galpão Crioulo da RBS TV e de projetos especiais. Em 2016, passou um semestre na Europa onde trabalhou em uma produtora norueguesa em diversos projetos, entre eles um programa para o Canal Off.

 

Compartilhar: