Dan Graham | MAM Rio

A obra Whirligig (Molinete) – uma construção circular em vidro e aço inoxidável do artista estadunidense Dan Graham – ocupará a área externa do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro a partir de 13 de novembro. Criada em 2019, a instalação será exibida pela primeira vez no Brasil. Whirligig questiona as noções de público e privado, bem como propõe uma reflexão acerca dos limites entre percepção e ilusão.

Realizada especialmente para a exposição Minimalismo, Posminimalismo y Conceptualismo 60-70, na Fundación Proa em Buenos Aires, a obra reage à luz e aos corpos que a percorrem. Com espelhos bidirecionais e transparentes, a estrutura circular dupla de grandes dimensões (688,4 x 548,4 x 230 cm) sugere um receptáculo que é ao mesmo tempo uma vitrine e um labirinto; um espaço no qual a variação da luz interfere diretamente no reflexo dos espelhos, fazendo com que as percepções de tempo-espaço se modifiquem a partir da interação com a obra. 

De acordo com o diretor artístico do MAM Rio, Pablo Lafuente, a distorção dos sentidos gerada pela estrutura sugere novas miradas sobre nossos corpos e o lugar em que nos encontramos: “Postos em relação, a arquitetura projetada por Affonso Eduardo Reidy e a instalação de Graham sugerem que os espaços construídos só fazem sentido em função daqueles que os ocupam e das paisagens que os acolhem”. 

“É uma grande honra trazer ao Brasil, em parceria com a Fundación PROA, uma obra que nos sugere novos olhares sobre nós mesmos”, diz Marcelo Chara, Presidente da Ternium Brasil. Patrocinadora da exposição, a Ternium investe e acredita na força transformadora na sociedade, através da cultura e da educação. Maior produtora de aço da América Latina, a empresa gera mais de oito mil empregos no seu centro industrial em Santa Cruz, na cidade do Rio de Janeiro, e promove relevantes ações e projetos sociais no seu entorno.

Visitação pública até março de 2022.

Compartilhar: