CORMOVIMENTO: a nova galeria de arte no Leblon

No dia 9 de dezembro, o Leblon ganha uma nova galeria de arte: é a CorMovimento, que será inaugurada com a exposição Noêmia Guerra: Força e Abstração, mostrando obras de uma das mais conceituadas artistas brasileiras na Europa. Segundo Rosa Cordeiro Guerra, dona da galeria e filha da artista, a fase abstrata de Noêmia Guerra foi escolhida para inaugurar a Galeria CorMovimento pela força que a artista imprimiu nos 15 quadros que vão compor a exposição.

Largas pinceladas e uma paleta de cores instigantes refletem o momento de novas descobertas e conquista de espaço da artista, que saiu do Brasil em 1958, para dedicar-se integralmente à arte. Noêmia Guerra nasceu no Rio de Janeiro em 11 de fevereiro de 1919. Embora tenha vivido e produzido a maior parte de sua extensa obra em Paris, Noêmia nunca se afastou do Brasil. Sempre valorizou sua origem e o Brasil permaneceu como fonte inspiradora em toda a sua trajetória artística.

Viveu em Paris cerca de 50 anos, onde pintava conciliando disciplina e paixão. Além de sua fase abstrata, danças, paisagens e retratos compõem sua vasta obra, apresentada em vários países. As aquarelas de Noêmia são reconhecidas pela leveza das cores e delicadeza dos traços. Noêmia Guerra faleceu em 2007, deixando uma enorme variedade de trabalhos da mais alta qualidade.

Por ocasião da retrospectiva de sua obra no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 2009, o então curador do MAM-RJ, Reynaldo Roels Jr. escreveu: “ O conjunto apresentado nesta mostra é suficiente para que possamos perceber que algo falta à história da arte brasileira nas décadas de 50 e 60, um estudo que dê conta do que de fato se passava. A obra de Noêmia é um exemplo. Este é um período rico ao qual vem se acrescentar agora, mais um nome que merece adensar a história da arte no Brasil”.

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

Ao longo de sua vida, Noêmia Guerra participou de diversas exposições por toda a Europa e no Brasil, entre elas:

– Galerie Montmartre – Rio de Janeiro – 1960
– St Martin’s Gallery – Londres – 1965
– Alwin Gallery – Londres – 1966, 68, 69 e 73
– Galerie Jacques Massol – Paris – 1966 e 69
– Stephen Maltz Gallery – Londres – 1977
– Galerie Marcel Bernheim – Paris – 1979 e 81
– Galerie Everarts – Paris – 1988
– MAM- Museu de Arte Moderno do Rio de Janeiro – 2009

 BIOGRAFIA

Noêmia Guerra nasceu no Rio de Janeiro e estudou pintura no Instituto Municipal de Belas Artes com o professor e pintor francês, André Lhote, que fora convidado pela Prefeitura do antigo Distrito Federal em 1951, para ensinar sobre a composição na arte da pintura. Obteve o certificado de isenção de júri, com seu trabalho “Paisagem” no Salão Nacional de Arte Moderna de 1954.

Mudou-se para Paris em 1958. Continuando seus estudos de pintura, participou de vários cursos do “College de France”, entre outros, o do professor René  Huyghe e também o do  professor Yves Bonnefoy. Durante o período em que residiu na França, Noêmia Guerra fez viagens a Portugal, Espanha, Inglaterra, Itália, Líbano, Áustria, Hungria, Eslovênia, Alemanha, Estados Unidos, Mônaco, Bélgica, Holanda, Suíça e Japão, onde expunha seus trabalhos em exposições individuais ou coletivas. Em Portugal, manteve um atelier na sua casa do Algarve por 30 anos, onde freqüentemente passava longos períodos dedicando-se a transpor para as telas as rochas e praias daquela região do sul de Portugal.

Noêmia Guerra foi, também, membro da “Société Française d’Esthétique” e da “International Society of Aesthetic”, tendo participado dos Congressos Internacionais de Nottinghan – Inglaterra, Madri – Espanha, Ljubliana – Eslovênia, Budapeste – Hungria e Tóquio no Japão.
Filosofia integrava a vida de Noêmia Guerra que participou dos cursos no “College de France” com os professores Merleau Ponti e Jean Hippolyte. Foi membro ativo do “College International de Philosophie”, em Paris, desde sua criação em 1981.

Interessou-se por questões sociais e participou, durante os últimos 15 anos de sua permanência em Paris, dos “Forums” na cidade de Le Mans, França, organizados pelo jornal “Le Monde”. A partir do ano 2000, Noêmia Guerra dedicou-se também ao estudo da caligrafia oriental, da China e do Japão. Mudou-se de Paris para o Rio de Janeiro em 2004, onde viveu os três últimos anos de sua vida, vindo a falecer nesta cidade em 2007.

Compartilhar: