Composições para tempos insurgentes | MAM Rio

O Museu de Arte Moderna do Rio abrirá, no dia 09/10 (sábado), a coletiva Composições para tempos insurgentes. A exposição combina projetos comissionados, desenvolvidos especificamente para a ocasião, com trabalhos dos acervos do museu e de outras coleções.

Pensando o MAM Rio como um espaço expositivo ampliado, a mostra conecta seu interior e arquitetura modernista a todo seu entorno, que abrange o patrimônio biológico e humano do Parque do Aterro.

Com cerca de cem obras, Composições apresenta trabalhos de Adriana Varejão, Brígida Baltar, Castiel Vitorino Brasileiro, Celeida Tostes, Dalton Paula, Daniel Steegmann Mangrané, Frans Krajcberg, Manauara Clandestina, Naomi Rincón Gallardo, Negalê Jones, Nelson Felix, Regina Vater, Tunga e Wanda Pimentel, entre outros.

Com a participação dos artistas que integram a mostra e de mestras e mestres de diferentes áreas de saberes (como biólogos, mães de santo, cientistas, poetas, rabinos e arquitetos), a exposição vai gerar uma publicação dividida em três eixos: relações, estratégias e cosmologias.

Acompanham a coletiva mostras de filmes coordenadas pela Cinemateca do MAM, além de cursos e seminários organizados dentro do Bloco Escola, e residências artísticas que compartilharão temáticas e dinâmicas.

Ao longo dos quatros meses de exibição, alguns trabalhos serão ativados pela equipe de Educação e Participação do MAM Rio. É o caso da instalação Ânsia – Programa de estudos em naturezas monstruosas de Jonas Van, artista de Fortaleza (CE) que desenvolveu um espaço de convívio e conversas com mobiliário construído por ele e pela equipe de arquitetura do museu, e Negalê Jones, artista de Magé (RJ), que realizará oficinas sonoras com plantas e elementos eletrônicos nas áreas externas dos Jardins do MAM.

Compartilhar: