Ciclo de debates Performances do Carnaval – Estética em desfile | MAM Rio

No mês de fevereiro o foco da programação do MAM Rio é a apresentação e compartilhamento de performances relacionadas ao Carnaval, no período em que a festa não vai ocorrer. Nesse fim de semana o museu dá sequência ao ciclo de debates “Performances do Carnaval“ com a colaboração do artista e carnavalesco Leandro Vieira como curador convidado. Dia 26 de fevereiro das 17 às 19h acontecerá o terceiro debate com a participação de Milton Cunha, Leandro Vieira e Keyna Eleison.

Dois artistas associados tanto à produção visual quanto à construção de discursos e narrativas carnavalescas debatem a criação estética dos desfiles a partir das provocações da curadora e diretora artística do MAM Rio, Keyna Eleison.

SOBRE MILTON CUNHA: Milton Cunha cursa pós-doutorado no Labedis/Museu Nacional sobre Patrimônio Cultural. É pós-doutor pela EBA/UFRJ em Narrativas Culturais Populares, bem como mestrando e doutorando em Semiologia pela Letras/UFRJ. Estudou Moda e Indumentária e Psicologia na Graduação. Há oito anos, é comentarista das transmissões dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro pela TV Globo. Atuou como carnavalesco em diversas escolas do Rio de Janeiro, entre elas a Beija-Flor de Nilópolis, a União da Ilha do Governador e a Unidos da Tijuca.

SOBRE LEANDRO VIEIRA: Artista plástico formado pela Escola de Belas Artes da UFRJ, o carioca Leandro Vieira atua na cena carnavalesca desde 2015. À frente dos projetos artísticos da Estação Primeira de Mangueira, conquistou dois campeonatos. Nos últimos anos, tem desenvolvido propostas conceituais que ultrapassam os contornos dos desfiles para a avenida. Em 2017, sua produção artística debruçada sobre a religiosidade popular foi documentada pelo IPHAN e levada ao Paço Imperial do Rio de Janeiro em exposição individual. Em seu mais recente desfile – Mangueira, 2020 – enfrentou a resistência conservadora ao apresentar a biografia de Cristo com nuances políticas e sociais contemporâneas.

SOBRE KEYNA ELEISON: Curadora. Pesquisadora, herdeira Griot e xamânica, narradora, cantora, cronista ancestral. Mestre em História da Arte e especialista em História da Arte e da Arquitetura pela PUC – Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro); bacharel em Filosofia pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Membro da Comissão da Herança Africana para laureamento da região do Cais do Valongo como Patrimônio Mundial (UNESCO). Curadora da 10a. Bienal internacional de Arte SIART, na Bolívia. Atualmente cronista da revista Contemporary  e professora do Programa Gratuito de Ensino da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro.

São 30 vagas disponíveis para cada debate. Inscrições em www.mam.rio/ingressos

Compartilhar: