Casa dos Sentidos | ParkShoppingBarigüi

Idealizada pela Montenegro Produções Culturais, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, a exposição interativa Casa dos Sentidos foi criada com o intuito de traduzir em forma de expressões artísticas os sentimentos e vivências das crianças e adolescentes portadores de Transtorno do Espectro Autista (TEA), a fim de contribuir para a inclusão, aceitação e conhecimento sobre essa condição que atualmente atinge uma em cada 44 crianças no mundo. A mostra, que ficará em cartaz de 01 a 24 de abril, no ParkShoppingBarigüi, em Curitiba (PR), terá entrada gratuita e horários específicos de visitas agendadas guiadas por especialistas em terapias cognitivas.

Com 300 metros quadrados de área expositiva, o projeto prevê a construção cenográfica de uma casa, estruturada como instalação de arte, com espaços internos projetados a partir das impressões de crianças autistas em releituras artísticas. “Cada um vê o mundo à sua maneira e os autistas enxergam e interpretam a realidade de uma forma ainda mais individual. A proposta da curadoria é oferecer uma experiência inédita que fala sobre inclusão social por meio da arte. Tudo de forma sensorial e lúdica”, conta Nonnie Fenianos, arquiteta da Montenegro Produções Culturais.

A experiência, assinada por artistas, designers e arquitetos renomados, é distribuída em ambientes sensoriais criados com ferramentas que estimulam os cinco sentidos do visitante. “São leituras, recortes e criações idealizadas a partir do universo sensível de crianças e adolescentes autistas que vão surpreender e emocionar o público. Uma verdadeira oportunidade de enxergar o mundo sob outra perspectiva”, detalha Carolina Montenegro, gestora da Montenegro Produções Culturais. Após a temporada em Curitiba, a Casa dos Sentidos passará por São Paulo e Brasília e, por fim, vai desembarcar na Califórnia, nos Estados Unidos.

Para chegar nesse resultado, a equipe técnica da Montenegro Produções passou por 10 meses de pesquisas e treinamentos práticos, acompanhados por especialistas em psicologia, pedagogia, fonoaudiologia e terapia ocupacional. Todos os processos e intervenções foram validados por profissionais da área. Além disso, o projeto conta com o apoio dos maiores institutos de pesquisa sobre TEA: a Tismoo, primeira startup de medicina e testes genéticos para autismo, e o The Muotri Lab (da Universidade de San Diego, Estados Unidos), que investiga os mecanismos fundamentais para o desenvolvimento do cérebro e de transtornos como o autismo.

Pensada para ser totalmente acessível, a Casa dos Sentidos terá um robô responsável pela audiodescrição de cada um dos ambientes da exposição, além de uma visita gratuita guiada por um tradutor de libras no dia 5 de abril, com agendamento prévio pelo Sympla. Uma versão on-line da exposição em 3D ficará disponível para visitação gratuita no site da produtora.

Em paralelo à mostra, serão realizadas também ações sociais externas, como encontros entre artistas e professores da rede pública de ensino para tratar da importância do desenvolvimento artístico sensorial; oficinas com artistas que utilizam elementos da natureza como matéria-prima; e 15 visitas guiadas por profissionais da Terapia Cognitiva A_MI para grupos de crianças autistas e idosos, beneficiados pelo Cedivida – Programa de Atenção à Pessoa Idosa, do Hospital de Clínicas de Curitiba.

Artistas e Arquitetos participantes:

1) Cozinha [Artista: André Coelho / Arquiteto: Givago Ferentz]

Você já observou com ouvidos bem atentos o que acontece enquanto alguém cozinha? São vozes, ruídos, barulhos e músicas que se transformam em nosso patrimônio afetivo: a comida. É com essa proposta que o ambiente traz representações artísticas de sons em diferentes vibrações, que farão o público acessar memórias e ativar novas percepções auditivas. A ilustração do imaginário afetivo que permeia esse espaço representa o fio condutor da experiência.

2) Sala de Estar [Artista: Daniélli Carazzai / Arquiteta: Mariana Saltini]

Ao utilizar a fotografia e suas infinitas possibilidades criativas para compor esse ambiente, o visitante terá as sensações relacionadas ao tato ativadas em diferentes elementos. Texturas, formas e espaços mostram-se presentes no cômodo, propondo outros modos de ver e sentir. A sala de estar promove o contato e a experiência compartilhada, já que todo aquele que toca também é tocado.

3) Quarto [Artista: Veronica Fukuda / Arquiteta: Nonnie Feninos]

No quarto, uma narrativa que usa a ilustração para representar cenários que habitam o imaginário popular e nos despertam surpresas, interrogações e descobertas. Da floresta ao oceano, uma construção estética que estimula o olhar além do que se vê.

4) Sala de Jantar [Artista: Guilherme Zawa / Arquiteta: Guta Nagaro]

A sala de jantar foi projetada como um ambiente de desconstrução para provocar estranhamento. Uma aparente inadequação capaz de encantar, surpreender e trazer reflexão sobre a beleza e a potência do que é diferente. As criações artísticas utilizam cerâmica em design inusitado que conduzem à reflexão sobre a beleza do que é o oposto daquilo que estamos habituados.

5) Caixa Sensorial [Artista: Eduardo Ramos / Arquiteto: Jorge Teixeira Junior]

A Caixa Sensorial foi projetada para que todos os sentidos sejam ativados. Com auxílio de luzes, sons e imagens, o visitante será conduzido ao universo sensível dos portadores do Transtorno do Espectro Autista.

Compartilhar: