Calli | Centro Cultural Correios RJ Copy

As pesquisas geométricas associadas ao rigor matemático e à complexidade das formas interceptadas pelas alusões inconscientes e existenciais, pautam e orientam parte significativa das abstrações geométricas de Luiz Antonio Caligiuri. O artista conhecido como CALLI, apresenta a exposição ‘PARÁBOLAS VISUAIS’, sua nova individual com curadoria de Patricia Toscano que fica em exibição até 4 de julho de 2021, no Centro Cultural Correios RJ. A mostra agora expande e lança a sua versão digital acessível também em realidade virtual VR, proporcionando uma experiência imersiva da exposição ao público através dos smartphones, tablets, computadores ou smart tv.

Nessa mostra híbrida com versão física e agora digital, acessível através desse link (https://parabolasvisuais.crio.gallery), o artista apresenta um corpo de trabalho dividido em duas séries de momentos distintos que dialogam nas confluências de sua trajetória artística. A primeira série ‘Símbolos inconscientes e influências’, criada no seu ateliê no Rio durante o período pandêmico, em 2019, reúne pinturas e desenhos de grandes e médios formatos na primeira sala. A segunda série, ‘Vivências’, criada em 2012, ocupa a segunda sala com pinturas de grandes formatos.

Os trabalhos desdobram as principais características de sua prática, entrelaçando formas, materiais e procedimentos, capazes de sintetizar e conectar sua abordagem formal com um discurso humano engajado com a atualidade. Em uma amálgama de organização e caos, sem que o resultado se torne incompreensível, suas pinturas e desenhos expressam o voo do pensamento simbólico, ordenado e ao mesmo tempo assimétrico em construções imagéticas singulares.

Com riqueza de detalhes, parábolas visuais e configurações simbólicas que traduzem experiências humanas, surgem em meio à abstração geométrica. Convidativas metáforas que transitam nesse espaço-tempo arrematam nossa visão existencial, enquanto signos de vivências e desejos instigam o público a imergir nestes cenários interpretativos ressignificados, como caminho plástico metafísico de interpretação poética nesta sagrada geometria Calligiuriana.

Entre os principais campos de aplicação da realidade virtual está o mercado de arte. A possibilidade de visitar uma exposição tradicional de arte em realidade virtual proporcionando uma experiência imersiva 3D ao público, está revolucionando a arte de várias maneiras. Graças à realidade virtual com visualização 360º, é possível realizar um tour visitando a exposição ’PARÁBOLAS VISUAIS’ que acontece no Centro Cultural Correios RJ, de qualquer lugar do mundo, mesmo sem sair de casa. Neste contexto de transformação do setor cultural, a exposição realizada em uma instituição cultural tradicional, inova e oferece uma atmosfera phygital de experiência imersiva.

A mostra utiliza um sistema revolucionário de “captura de realidade” tudo-em-um para criar experiências de Realidade Virtual (VR) 3D realistas e interativas, com um conceito simples, mas revolucionário que realiza varreduras tridimensionais das obras e seu espaço expositivo para, então espelhar virtualmente e compartilhá-las através da nuvem.

“A geometria de CALLI transcende o sentido físico e exato, sua poética de profusão cromática aliada a justaposição de formas indistintas, revela a singularidade do salto quântico de sua qualidade pictórica. O trabalho traz referencias da História da arte e Filosofia e nos remetem a Kandinsky, quanto a formas e símbolos, Miró, por suas composições cromáticas, Dalí, por suas interpretações do inconsciente e Espinoza, por suas reflexões quanto aos desejos existências. Essas inspirações orientam parte significativa de sua linguagem e estética construtiva existencial, que aliada a peculiaridade de um certo grafismo, cria uma nova perspectiva atmosférica e dimensão plástica inusitada nesta exposição. Envolver os universos offline e online em uma só experiência de jornada phygital híbridizada integrada ao público, torna a fruição poética mais ainda particular, consciente e adaptada às novas realidades pandêmicas, expandindo fronteiras indo além da esfera local e recursos tecnológicos. Não é o público que vai até a obra, mas a obra que vai de encontro ao público. Além de experiência, arte é tecnologia.” diz Patrícia Toscano, curadora e crítica de arte, especializada em conectar os ecossistemas da arte, tecnologia e inovação.”

CALLI é formado em Arquitetura e Urbanismo, perpassando por Artes Visuais na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Durante sua trajetória e experiência como diretor de arte e cenógrafo ao longo de 20 anos na Globo, assinou a cenografia de mais de 30 novelas e minisséries, filmes e espetáculos musicais e de teatro. Este background permitiu voos consistentes por novos horizontes no universo da arte, sendo sua convivência e amizade com o consagrado artista Tunga, admirador profundo e incentivador de sua obra, o marco decisivo e ponto de partida para fluir por novos rumos contemporâneos, realizando exposições no Brasil e exterior, onde suas obras fazem parte de relevantes coleções.

A visitação da mostra é livre e gratuita e o funcionamento na versão online e na versão física é de terça-feira a sábado, de 12:00 às 19:00 no CCCRJ, Rua Visconde de Itaboraí 20 – Centro, seguindo todos os protocolos de higienização, segurança e prevenção do COVID19.

Compartilhar: