Café Mundo | MAB FAAP

Ismael Ivo

Presente nas mais diversas expressões artísticas, o café é tema da próxima exposição do MAB FAAP (Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado). Café Mundo abre ao público no dia 21 de julho e apresentará aspectos da produção da bebida, os impactos históricos, hábitos, saberes e desdobramentos no campo das artes, da literatura, da música e do cinema ao longo dos séculos.

Com cenografia imersiva, a exposição abordará a bebida a partir de uma perspectiva global, seguindo dois eixos que se complementam: o café enquanto patrimônio ativo mundial e, também, como tema das diferentes linguagens artísticas. A curadoria é de Marília Bonas e Pedro Nery.

“Café Mundo espera atender ao desejo de milhares de pessoas envolvidas na cadeia do café, de produtores a consumidores apaixonados, ao compartilhar sua riqueza e importância, bem como sua potência em conectar culturas”, destaca a curadora.

Fernanda Celidonio, diretora do MAB FAAP, adianta que a exposição contará com muitos recursos para envolver os visitantes na história e importância do café pelo mundo, trazendo curiosidades diversas e muita arte. “Haverá ainda uma programação virtual paralela, complementando o conteúdo disponível na mostra”, explica.

Antonio Ferrigno, O Lavadouro | Foto: José Rosael Hélio Nobre | Museu Paulista da USP

Café como patrimônio mundial

Mesas digitais e animadas apresentarão a trajetória da bebida, desde a cadeia de produção ao consumo, além de contar sua história e importância ao redor do globo. Neste espaço, o público terá a oportunidade de conhecer as características e curiosidades sobre o preparo e o consumo em diversos países.

Haverá ainda uma área dedicada aos objetos ligados à cultura do café, utilizados na produção, no preparo e no consumo, como máquinas e louças, entre outros materiais. “Será uma grande vitrine que reunirá exemplos da rica e diversa cultura material que se desdobra a partir da presença da bebida em todo o planeta”, destaca a curadoria.

Arminio Kaiser, Fazenda Santa Zulmira – Astorga – PR, 1958 | Acervo MH Londrina

Café nas linguagens artísticas

O segundo eixo curatorial apresenta o café em três áreas relacionadas. A primeira será dedicada à fotografia, com produções inéditas em São Paulo de dois fotógrafos: Armínio Kaiser, que registrou cafezais no interior de São Paulo e do Paraná nas décadas de 1950 e 1960; e o artista colombiano Jorge Panchoaga, cuja série CasiCafé (Quase Café) nunca foi apresentada no Brasil.

O café nas artes visuais também ganhou um espaço na exposição, que apresenta uma seleção de obras que tratam do tema nas mais distintas linguagens e concepções, como pinturas do início do século XX, com representações do ciclo do café no interior de São Paulo, a uma instalação especialmente desenvolvida para a mostra.

Serão exibidas obras de Antonio Ferrigno, Aldir Mendes de Souza, Candido Portinari e Manabu Mabe, que conversam com produções contemporâneas, como um livro da artista Kátia Fiera, um vídeo de Naiana Magalhães, e a obra “Arte preta tipo exportação”, do artista mais jovem da exposição, Mulambö. A exposição também trará ao público a projeção da performance “I had too much coffee”, de Ismael Ivo, com direção de Rob Schmerberg, bem como um site specific da artista Raquel Fayad, que trará de forma sinestésica os desejos relacionados ao consumo do café na vida cotidiana e suas relações.

A terceira área traz um passeio histórico pela influência que o café vem exercendo nas produções culturais humanas, a partir da projeção em vídeo da Rádio Café. O público terá a chance de conhecer, por meio de uma narração feita por dois apresentadores, como o café inspirou produções na literatura, na música e no cinema.

A exposição contará, ainda, com programação cultural sobre o tema, atividades pedagógicas, podcast de oito episódios com especialistas e participantes da exposição, produzidos na Rádio e TV FAAP, palestras, o lançamento do catálogo digital e um site, onde será possível fazer um tour virtual pela mostra e ter acesso a diversos conteúdos complementares à exposição como playlists de músicas de diversas partes do mundo, listagem de filmes, livros e referências diversas da ampla pesquisa realizada para o projeto.

“Café Mundo” é viabilizada por meio da Lei de Incentivo à Cultura com realização do Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura e Brahmi Cultural. A produção está a cargo da Frida Projetos Culturais e a coordenação geral pertence a Tudo Cultural com parceria institucional do MAB FAAP.

Compartilhar: