Brazil Jewelry Weekend | Casa de Cultura do Parque

Idealizada pela joalheira brasileira Chrissie Barban, com curadoria de Miriam Mirna Korolkovas, a primeira edição da BRASIL JEWELRY WEEKEND acontece na Casa de Cultura do Parque. Em uma ação inovadora e singular, pensada para acontecer anualmente, artistas, joalheiros e designers brasileiros e estrangeiros participam deste evento internacional, exibindo ao público suas produções mais recentes no campo da joalheria autoral e contemporânea, obras de arte vestíveis ou wearable art. O evento tem duração de apenas dois dias, com diversas atividades paralelas como palestras, conversas abertas, oficinas, além das exposições individuais de coleções de Edith Derdyk, Flavia Liz Di Paolo e Miriam Mirna Korolkovas, e do lançamento do livro que registra tudo sobre a primeira edição do evento.

No intuito de inspirar novas experiências comportamentais e estéticas, a BRASIL JEWELRY WEEKEND surge para suprir a falta de eventos, feiras e salões dedicados à joalheira – entendida como obra de arte vestível, em forma de adorno. Como define Chrissie Barban: “A proposta é mostrar ao público obras que utilizam o corpo como suporte de manifestações artísticas, e que criam diálogos experimentais para renovar, reinventar e experimentar novos materiais, técnicas e conceitos no ato de se adornar”. Além disso, o evento oferece a oportunidade de admirar uma seleção especial de joias contemporâneas, e de estreitar o contato entre colecionadores e artistas. Seguindo o formato de grandes feiras internacionais, cada joalheiro terá um móvel padrão para compor e expor suas criações.

No que se refere à curadoria, “o principal objetivo é selecionar joalheiros que se expressem de forma original e ao mesmo tempo pessoal. Joalheiros preocupados em surpreender, desafiar contextos e ideias usando o corpo como suporte”, comenta Miriam Mirna Korolkovas. A curadora será homenageada nesta primeira edição da BRASIL JEWELRY WEEKEND, em razão de seus 50 anos de contribuição para a joalheria contemporânea brasileira.

A BRASIL JEWELRY WEEKEND acontece em um momento oportuno diante de um mercado de arte cada vez mais plural e diversificado, e abre espaço para a inclusão de uma técnica artística tão fascinante quanto as demais. Neste sentido, também coloca em pauta a queda do conceito ultrapassado de que joia não é obra de arte. Acerca deste preconceito, o galerista Thomas Cohn já disse: “Estamos falando de um produto feito por artistas, usando técnicas idênticas às das outras artes plásticas, e sua história milenar tem, a partir do Século XX, como protagonistas, figuras proeminentes da pintura e a escultura, como Picasso, Braque, Man Ray, Max Ernst, Dalí, Calder, Jean Arp, Giacometti, Fontana e muitos outros”. Ainda nas palavras do galerista: “A joalheria de autor tem cerca de 40 anos, 200 galerias especializadas no mundo e faz parte da coleção dos melhores museus. O motivo para discriminação só pode ser fruto de ignorância e – admitamos – de uma atuação pouco eficiente do mundo joalheiro”.

 

Compartilhar: