As vozes dos artistas #4: em torno dos retratos de Frederick Douglass | Bienal de São Paulo

Retrato de Frederick Douglass, 1847-1852 Daguerreótipo | Foto: Samuel J. Miller. Cortesia de Art Institute of Chicago

No dia 13 de maio, às 19h, a Fundação Bienal de São Paulo promove a quarta live da série As vozes dos artistas, em que a curadoria da 34ª Bienal de São Paulo conversa com artistas convidados, brasileiros e estrangeiros, sobre os enunciados da mostra – objetos com histórias marcantes e em torno dos quais as obras serão distribuídas na exposição, sugerindo leituras poéticas multifacetadas das mesmas. A participação é gratuita e as inscrições começam dia 4 de maio no link bienal.org.br/inscricao.

A live será realizada em 13 de maio, dia em que o Brasil relembra a abolição legal da escravidão no Brasil, em 1888, decorrente da luta de lideranças negras do movimento abolicionista. No encontro, será debatido os retratos de Frederick Douglass, figura central do movimento abolicionista estadunidense e que entendia a importância do protagonismo negro. Douglass foi considerado o homem mais fotografado do século 19 nos Estados Unidos. Ele era filho de uma mulher negra escravizada e de um homem branco que não conheceu. Como resultado de sua busca por difundir uma imagem positiva e não estereotipada de pessoas negras, seus retratos entraram no fluxo de circulação dos jornais, assim como em espaços privados de todo o país, e até hoje circulam pelo mundo como símbolo de justiça e resistência.

Para entender que reverberações da figura de Douglass ainda mantém em nosso contexto atual, Jacopo Crivelli Visconti, curador geral da 34ª Bienal, e Paulo Miyada, curador adjunto, conversam em uma live com o artista estadunidense Tony Cokes (1956, Virginia, EUA), atualmente professor de produção de mídia e diretor de graduação no Department of Modern Culture and Media da Brown University (Providence, EUA). Suas obras de vídeo, instalação e som recontextualizam materiais apropriados para refletir sobre a nossa produção como sujeitos do capitalismo. Além da participação ao vivo de Cokes, o encontro trará uma introdução à figura de Douglass pela pesquisadora Janaina Damaceno Gomes e entrevistas gravadas com os artistas Alfredo Jaar (1956, Santiago, Chile), Musa Michelle Mattiuzzi (1983, São Paulo, SP), além de uma apresentação do trabalho de Zózimo Bulbul (1937 – 2013, Rio de Janeiro, RJ) realizada pela pesquisadora Janaína Oliveira. Ao final, Cokes e os curadores respondem às perguntas do público.

Nas semanas seguintes à live As vozes dos artistas #4: em torno dos retratos de Frederick Douglass, será realizado o minicurso gratuito Ecos-mundos: entre imagens, som e letra para aprofundar os temas abordados no encontro. O curso, ministrado por profissionais da Fundação Bienal em plataforma digital, será composto por 4 reuniões virtuais (com 2h de duração cada) que apresentam trechos inéditos das entrevistas com artistas, discutem os temas previamente abordados, compartilham referências bibliográficas e outros materiais de pesquisa. As inscrições serão abertas durante a live e deverão ser efetuadas pelo site da 34ª edição. Os encontros se darão entre 18 e 27 de maio (18, 20, 25 e 27/05), às terças e quintas-feiras, das 19h às 21h.

Negativo fotográfico de Frederick Douglass, 1877. | Foto de Matthew B. Brady

Compartilhar: