Sérgio Free | Galeria Alma da Rua

Sérgio Free ocupa Galeria Alma da Rua na exposição Antrópicos – palavra que nos remete às alterações feitas pelo homem no mundo. Reconhecido pelas ruas de São Paulo por seus graffitis, Sérgio traz nessa ocupação uma analogia ecológica entre a metrópole e o planeta Terra, onde a arte urbana é denominada crime ambiental e vandalismo. Com 10 obras, ele aponta e questiona as grandes empresas mundiais que jogam responsabilidades e consequências nas mãos dos consumidores.

“Nessas telas eu apresento um olhar muito crítico e reflexivo em relação às empresas que poluem o ar, rios, solos e oceanos com seus resíduos. Eu, como artista, me sinto obrigado a fazer essa provocação. A arte é isso também”, comenta Sérgio Free. “Além de utilizarem recursos naturais em uma velocidade muito elevada, causando desequilíbrios nos ciclos biogeoquímicos. São esses negócios que colocam em risco a existência de qualquer espécie, inclusive a humana”, complementa.

Nascido na Bahia, Sérgio passou a morar na capital paulistana ainda criança e, em seus pequenos trajetos rotineiros passou a observar a arte urbana em pichações. Só descobriu que aquilo não era bem visto pela sociedade quando, muito novo, ajudava alguns artistas de seu bairro e estes foram levados pela polícia. “Aos 8 anos de idade, tudo era muito lúdico, ainda mais na visão de uma criança. Foi duro começar a entender como a cena do street art era percebida”.

Compartilhar: