Ananda Seidl | Espacio Uruguay

NEOARTE - Soluções Fotográficas para o Mercado de Arte / www.neoarte.net

O artista visual Ananda Seidl inaugura “Tropikus”, no Espacio Uruguay, sob coordenação de Mariana Pinto e com texto de apresentação de Enock Sacramento. Composta por 13 pinturas e uma instalação, a individual propõe o conceito de “curadoria invisível”, em que a criatividade da artista toma voz de sua criação com total autonomia, buscando a reflexão pessoal do espectador acerca de um questionamento político.

Baseada na exuberância tropical em cores dilaceradas e lama, que invade o espaço como contraste e manifesto político, Ananda Seidl pretende despertar no público a liberdade de avaliar e refletir, a partir de suas próprias experiências, sobre a diversidade entre obras coloridas e a instalação apresentadas. “A escolha pela arte sempre esteve presente em minha vida como uma forma indireta de falar sobre questões pessoais, deixando livre ao interlocutor as sinapses”, comenta o artista. Segundo Mariana Pinto, a organização das obras foi pensada em mostrar esse conjunto na tentativa de evitar leituras fixas: “Tudo o que eu queria era minimizar os sentidos preestabelecidos e evitar teorias prévias, para deixar que o espectador em suas referências crie a sua própria leitura e se possível vá além do que ele vê”.

“Tropikus” marca a fase de estreia de Ananda Seidl no circuito cultural. Em suas palavras: “A arte, pra mim, acabou virando uma semente diante de circunstâncias de um período de minha vida. Outrora, preferi um certo sacrifício no fazer artístico em razão do meu filho. A semente então ficou quietinha, em ambiente seco e estéril. Em uma palavra, impossível germinar. Passadas décadas, a semente recebeu – vai saber de onde – água. Então tudo começou a mudar!  Apesar de guardada por tanto tempo, a semente continha todas as informações necessárias para brotar. E foi o que ocorreu. A água fez meu trabalho, acordando as propriedades da semente, que brotou, cresceu e então surgiu o fruto que é esta primeira individual”.

Compartilhar: