Aline Matheus | Esculturas on line

ESCRAVIDÃO CONTEMPORÂNEA – Esperança de Regresso, da escultora carioca Aline Matheus, abrange exposição virtual, catálogo, making of e debate, em torno do conjunto mais recente da sua produção, motivado pela condição de trabalho escravo na contemporaneidade no Brasil. A curadoria é do diretor Claudio Boeckel, que também assina a mostra virtual. Em 25 de março, entra no ar a exposição virtual, o making of deste audiovisual e o catálogo, em www.alinematheus.com. O debate live, no Instagram, acontece em 13 de abril de 2021.

Todas as etapas de Escravidão Contemporânea têm patrocínio do Governo Federal, do Governo do Estado do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc.

Em razão da atividade de auditora fiscal do trabalho, Aline Matheus aprofundou sua pesquisa nos relatos dos auditores que atuam no combate ao trabalho escravo e dos próprios trabalhadores das áreas rurais, no estudo da história do trabalho escravo no país, e nas propostas das organizações internacionais sobre o tema.

Os materiais são próximos do universo dos trabalhadores, como tábua de obra, terra, ferro e  recipientes enferrujados. Para o corpo humano, a escultora usa resina, na qual imprime a expressão do corpo físico que conte a história da opressão contínua.

O curador e diretor Claudio Boeckel escolheu a lente macro objetiva para um mergulho na textura, na porosidade da produção de Aline Matheus. Ele quer evidenciar a profundidade que a aproxima do caráter humano, com uma sequência para cada trabalho. As locações das filmagens são os ateliês da artista na Fábrica Bhering, na zona portuária do Rio de Janeiro, e em Itacoatiara, na região oceânica de Niterói, RJ.

“Meu grande norte é estar a serviço da obra; todos os recursos e opções estão a serviço das esculturas”, promete Boeckel. O audiovisual da exposição é um mergulho cinematográfico, ao som de trechos da sinfonia de Rodolpho Rebuzzi, composta especialmente para esta série de peças de Aline Matheus.

Na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro, Aline Matheus fez o curso de desenho com Mollica e com Charles Watson, o de Processo Criativo, em décadas diversas. Durante sete anos participou do Grupo de Estudos de Modelo Vivo, coordenado por Cláudio Valério Teixeira, em Niterói. Fez individuais em espaços públicos no Brasil e participou de coletivas no país e nos EUA.  O curador Claudio Boeckel é diretor de TV, cinema e teatro. Desde 1997 integra o quadro de diretores da Rede Globo, onde dirigiu vários trabalhos, tais como Senhora do Destino, A Força do Querer, Duas Caras, Laços de Sangue (SIC Portugal) e Império (as duas últimas receberam Emmy Awards). No canal Gloob dirigiu a série  infantil Gaby Estrella, também indicada ao Emmy Awards Kids. No cinema, dirigiu e roterizou o longa-metragem Cirandeiro, documentário/fábula sobre o teatrólogo Amir Haddad, e o filme Gaby Estrella, exibido em circuito nacional, em 2018.

Compartilhar: