A Outra Realidade | Farol Santander São Paulo

Motta & Lima, frame de Memória Coletiva, 2018 | FOTO: Cortesia dos artistas

O Farol Santander São Paulo, recebe sua quinta exposição no ano, chamada A Outra Realidade. Sob curadoria de Marcello Dantas, produção da Magnetoscópio e colaboração da produtora Acute Art, a mostra coletiva reúne obras em realidade virtual desenvolvidas por proeminentes artistas contemporâneos dentro e fora do País, como Antony Gormley (Inglaterra) em parceria com a astrônoma Priyamvada Natarajan (Índia); os artistas interdisciplinares Laurie Anderson (EUA) e Hsin-Chien Huang (Taiwan); a dupla Motta & Lima (Brasil); além de Olafur Eliasson (Dinamarca).

Considerada parte do eixo de exposições de arte imersiva, já tradicional no Farol Santander SP, a mostra explora o potencial criativo da realidade virtual, que tem se revelado nos últimos anos uma tecnologia promissora em diferentes áreas do conhecimento e conquista cada vez mais espaço como um novo meio artístico. A capacidade de criar mundos completamente novos, livres de formas e narrativas convencionais, permite que o público mergulhe nos universos criados sem limitações.

“Trazemos ao público a exposição A Outra Realidade, com obras que desafiam o espaço físico e nossa percepção sensorial, e produzem experiências que sobrepõem realidade cotidiana e plano virtual. A nosso ver, vivenciar essas e outras realidades pode ampliar nosso conhecimento e promover o estreitamento de relações com diferentes culturas.”; afirma Patricia Audi, vice-presidente de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander Brasil

A Outra Realidade nos convida a descobrir outras possibilidades e perspectivas, e a nos perguntar quais outras realidades gostaríamos de imaginar e que outro mundo queremos construir.

Ao todo, a exposição A Outra Realidade reunirá no 24º andar do Farol Santander SP quatro diferentes experiências de realidade virtual, independentes entre si e produzidas por sete criadores interdisciplinares.

As obras consistem em vivências únicas, que utilizam desde temas mais abstratos, até composições ligadas ao espaço e fenômenos naturais desenvolvidas por artistas com características experimentais como Laurie Anderson e Hsin-Chien Huang, que estão em seu terceiro trabalho juntos, após duas outras colaborações de VR premiadas internacionalmente. Laurie Anderson, considerada hoje uma das máximas referências em realidade virtual e pioneira em novas linguagens artísticas, já apresentou a obra To The Moon (Para a Lua), que estará no Farol Santander, durante o Festival de Cannes, em 2019. A americana é também a primeira artista a fazer uma residência na NASA.

A mostra marca, ainda, o retorno ao Brasil de trabalhos dos renomados artistas Olafur Eliasson e Antony Gormley, sucessos de público e crítica em outras exposições. Eliasson é um dos maiores artistas da atualidade, conhecido por suas instalações em grande escala, com caráter sensorial e que incentivam uma participação ativa do público. O artista explora a relação entre os seres humanos e a natureza, criando obras que abordam temas como crise climática e energia renovável. O dinamarquês ainda comanda o Studio Olafur Eliasson, um laboratório de pesquisa multidisciplinar, que reúne artistas, artesãos, designers, arquitetos, engenheiros, cineastas e historiadores.

O inglês Antony Gormley produziu em conjunto com a astrônoma indiana Priyamvada Natarajan, a obra Lunatik, com dados coletados pela NASA. Gormley é considerado um dos principais escultores da atualidade e, sua primeira exposição no Brasil, em 2012, foi uma das mostras mais visitadas daquele ano no mundo, segundo o Art Newspaper.

Já a dupla brasileira Motta & Lima, retorna ao Farol Santander SP, depois de três anos, quando participaram da mostra Luz e Arte. Em A Outra Realidade, os parceiros apresentarão a obra Memória Coletiva (2018), que será montada em versão inédita diretamente no ambiente expositivo, com a participação da equipe do Farol Santander como figurantes, provocando um diálogo do espaço com o público, a partir das técnicas de realidade virtual. A dupla está entre os mais destacados artistas brasileiros que trabalham na fronteira entre arte e tecnologia.

“Esta exposição parte da investigação dessa prática recente e como, do ponto de vista artístico, estamos criando uma realidade paralela. Trata-se de um meio que desafia nossa percepção e geralmente sobrecarrega a nossa capacidade cognitiva. Pode-se argumentar que as novas gerações, acostumadas ao ambiente digital e inovações tecnológicas, podem não estar sujeitas à sobrecarga sensorial da realidade virtual. Qual seria, então, o meio de arte para os mais jovens? O que fará com que eles tenham seu momento de revelação, de descoberta e decifração? A resposta emocional é, de longe, a manifestação mais importante da arte; a realidade virtual é um meio sem o objeto, mas repleto de respostas emocionais. Aquilo que não é, mas se percebe ser.“; afirma Marcello Dantas, curador da exposição.

Todo o andar da exposição será preparado para atender as recomendações das autoridades em relação aos protocolos sanitários. O ambiente contará com marcação para distanciamento de até 1,5m, álcool em gel, uso obrigatório de máscaras e, permanente e total higienização dos óculos de realidade virtual, a cada visitante que o utilizar.

Compartilhar: