A cidade que me guarda – Manoel Novello

O espaço urbano e a arquitetura são as inspirações para a exposição “Cidade que me guarda”, do artista Manoel Novello. Com a curadoria da crítica de arte Daniela Name, a mostra tem sua abertura marcada para o próximo dia 30, na galeria Universidade Candido Mendes, em Ipanema.

O título do trabalho deve-se graças ao poema e letra da canção “Três da madrugada”, de Torquato Neto e gravada por Gal Costa, que aprofunda a relação do artista entre seus traços da pintura e os traços da cidade carioca.

“Pinto de frente para uma varanda. A observação dos planos dos prédios sobrepostos à Baía de Guanabara e ao Pão de Açúcar tem uma relação direta com minha obra. O prédio modernista onde trabalho é um alimento constante em termos de imagens”, diz o artista.

“Cidade que me guarda” reúne 3 pinturas de grandes dimensões, um conjunto de aquarelas criadas em formato de cartão postal e 8 fotografias. As pinturas de Novello são criadas a partir de um processo de construção e reconstrução de diagonais, horizontais e verticais: o artista sobrepõe estas linhas coloridas compostas como se fossem músicas, evidenciando planos e criando a noção de profundidade. Ao longo da criação de uma tela, linhas e cores são apagadas, engolidas por outras que as cobrem, exatamente como ocorre com os prédios, ruas e praças de uma cidade ao longo dos anos.

Para ver, analisar e sentir a exposição de Novello, o público poderá conferir a mostra a partir do dia 1° de outubro e a entreda é franca.

Compartilhar: