5ª edição Jornadas de Outubro | EAV Parque Lage

Desde de 2016, outubro é o mês que a Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV) elegeu para repensar o mundo sob a perspectiva daqueles que carregam o arrojo das mudanças. Enquanto o Dia da Criança é festejado pontualmente no dia 12, as Jornadas de Outubro estendem a comemoração ao mês inteiro, reunindo aqueles que a sociedade chama de “menores”, se interessando por corpos e processos considerados menos importantes dentro de uma sociedade de trabalho autoritária e capitalista. Com programação gratuita dedicada a crianças de todas as idades, as Jornadas acontecem nos formatos on-line e presencial, com atividades abertas ou sujeitas a lotação.

Esse ano, as Jornadas de Outubro buscam inspiração na inquietação das crianças acerca da origem das coisa e dos porquês presentes em todas as faixas etárias. “Nosso mundo será outro?“, temática que norteia a 5ª edição do projeto, aponta para um mundo partilhado e pronto a ser imaginado, remodelado, deformado e transformado.

A partir de encontros, experiências artísticas e práticas pedagógicas, a EAV convocou crianças e idosos a construir relações através de suas experiências acerca dos valores e das potências das infâncias. Considerando que crianças não são promessas de vida adulta, mas realidades completas, a EAV propõe a substituição da pergunta o que você quer ser quando crescer?” por “que mundo começaremos a construir hoje?“. 

Durante os meses de setembro e outubro, crianças frequentadoras da Biblioteca Lima Barreto (Nova Holanda) participam da atividade “Papo de bibliotecas interetárias”, ministrada pelos professores Prili e Kammal, em que são convidadas a ilustrar histórias escritas por idosos frequentadores da Biblioteca Vida Feliz (Guaratiba). As histórias destinadas às crianças têm como tema infâncias e natureza. 

Em um cenário de crise sanitária, importa valorizar a velhice e suas sabedorias partilhadas na tradição oral, nas narrativas familiares – presentes entre todas as gerações. Valorizar nossos velhos é um ato insubordinado quando somos medidos apenas por nossa capacidade de produzir e trabalhar. Qual o tempo do brincar? À distância, com as tecnologias digitais, e por meio de trocas de mensagens e livros, exercitaremos uma aliança com aqueles que construíram nossa sociedade num exercício de escuta. Crianças e idosos têm a ensinar e a aprender sobre um mundo em franca transformação: nestas jornadas, propõe-se a invenção de um mundo que valoriza a vida, com toda sua pluralidade, de maneira inegociável.

“Para a programação das Jornadas de outubro desse ano, optamos por provocar encontros entre diferentes idades com a intenção de criar espaços de troca que reafirmam que ser criança faz parte de experiências de corpos de todas as idades. Através de atividades e conversas, convidamos o público a refletir junte sobre possibilidades de inventar outros mundos”, revela Luana Vieira, supervisora do Parquinho Lage.

Mais informações: parquinholage@eavparquelage.org.br 

Compartilhar: