DASARTES 101

WILLIAM KENTRIDGE
BRUNO DUNLEY
JMW TURNER
GIORGIO DE CHIRICO
KADER ATTIA
TOMÁS ESSON
EDU DE BARROS

CAPA
WILLIAM KENTRIDGE é um dos mais importantes artistas visuais contemporâneos da África do Sul. Sua obra abrange tópicos como injustiça social, a história do seu país, colonialismo, família, fuga e deslocamento com uma ampla variedade de mídias. No início de sua prática artística, porém, sempre está o desenho. Por Elisa Maia.

ALTO RELEVO
BRUNO DUNLEY é pintor: um dos protagonistas essenciais da geração de pintores que despontou no Brasil no início do Século 21. A complexidade e riqueza de sua obra – sua variedade e consistência – lhe conferem uma singularidade notável. Por Lilian França.

DESTAQUE
Um dos maiores artistas da Grã-Bretanha, JMW TURNER viveu e trabalhou no auge da Revolução Industrial. O vapor substituiu a vela; a força da máquina foi substituída pela mão de obra; as reformas políticas e sociais transformaram a sociedade. Muitos artistas ignoraram essas mudanças, mas Turner enfrentou esses novos desafios e transformou a maneira como pintava para melhor captar este novo mundo. Por Maria Teresa Santoro Dörrenberg.

FLASHBACK
A retrospectiva Pintura Metafísica traça o percurso e as influências artísticas e filosóficas que alimentaram o artista GIORGIO DE CHIRICO quando descobre as vanguardas pictóricas do seu tempo. De forma inédita, serão destacadas as ligações do pintor com os círculos culturais e literários de Paris. Por Alecsandra Matias de Oliveira.

ALTO RELEVO
O artista franco-argelino KADER ATTIA, expõe pela primeira vez na América Latina, no Sesc Pompeia, obras inéditas e trabalhos emblemáticos de seus 20 anos de produção. Por Teresa de Arruda.

DO MUNDO
Com uma rigorosa formação acadêmica imbuída da tradição do grotesco, as várias séries de pinturas do artista cubano TOMÁS ESSON convergem em um estilo repleto de energia, humor mordaz e narrativas evocativas. Por Redação.

GARIMPO
O jovem artista carioca EDU DE BARROS tem em sua prática múltipla e visualmente envolvente, fontes do simbolismo cristão e esotérico. suas pinturas figurativas em grande escala e instalações são repletas de ambiguidade com pitadas de ironia sobre fenômenos culturais e políticos. Por Leandro Fazolla.

ALTO FALANTE
Leia a parte II do artigo: A obra de arte na era de sua reprodutibilidade turística. Ainda. Por Alexandre Sá.

Compartilhar:

DASARTES 12 anos