ZUM e IMS selecionam vencedores da Bolsa de Fotografia 2014

Instituo Moreira Salles e revista ZUM selecionaram os dois projetos que irão receber R$ 65 mil para fomentação.

Após analisar 588 projetos de todo o país, o Instituto Moreira Salles (IMS) e a revista ZUM selecionaram os dois projetos vencedores da Bolsa de Fotografia ZUM/IMS 2014. Os contemplados foram: “Charles Lynch”, do Coletivo Garapa (São Paulo/SP) e “Desvio”, de Helena Martins-Costa (Porto Alegre/RS).

Com o objetivo de fomentar o trabalho de artistas e fotógrafos no campo da fotografia, nas mais variadas vertentes – sem restrição de tema, perfil ou suporte – a comissão julgadora avaliou a qualificação dos candidatos e a viabilidade prática da proposta.

Cada selecionado receberá uma bolsa no valor de R$ 65 mil e terá oito meses para desenvolver o trabalho. O resultado final dos projetos selecionados será incorporado ao Acervo de Fotografia do Instituto Moreira Salles.

Essa foi a 2ª edição do prêmio Bolsa de Fotografia promovido pelo IMS e a ZUM. Na sua estreia, em 2013, foram laureados Microfilme, de Letícia Ramos, e Zoo, de João Castilho. 

 

Sobre os vencedores:

Coletivo Garapa
São Paulo/SP, 2008

O coletivo é formado pelos jornalistas e artistas visuais Leo Caobelli (Pelotas/RS, 1980), Paulo Fehlauer (Marechal Cândido Rondon/PR, 1982) e Rodrigo Marcondes (São Paulo/SP, 1979). Realizam trabalhos que têm por objetivo pensar e produzir narrativas visuais, integrando múltiplos formatos e linguagens, pensando a imagem e a linguagem documental como campos híbridos de atuação.

Helena Martins-Costa
Porto Alegre/RS, 1969

Artista visual, bacharel em fotografia pelo Instituto de Artes da UFRGS e mestre em poéticas visuais pela ECA-USP. Seu trabalho passa pela ressignificação de imagens rejeitadas, coletadas em sebos e feiras de arte, que apesar de terem atravessado o tempo, carregando as marcas do percurso, sobreviveram ao desaparecimento. Nesse processo de arqueologia fotográfica, a artista convive longamente com esses personagens e, assim, identifica algumas tipologias com as quais trabalha. Em 2012, expôs no Projeto Parede do MAM-SP o trabalho Por um fio; em 2010, o trabalho Estatuária foi exposto no Carpe Diem Arte e Pesquisa, em Lisboa; realizou uma exposição individual no Centro Cultural Maria Antônia da USP, em 2009; e, em 2004, participou da Temporada de Projetos do Paço das Artes, com o trabalho A espera. Vive e trabalha em São Paulo.

Compartilhar: