Whitney Bienal abre com projeto de artistas em parceria com Tiffany & Co.

Peça Harold Mendez

Peça Harold Mendez

Para celebrar a parceria com o Whitney Museum, a Tiffany & Co. anunciou uma colaboração inédita com cinco artistas da exposição Whitney Bienal 2017. Para este projeto a joalheria, junto aos curadores da bienal, Mia Locks e Christopher Y. Lew escolheram cinco artistas da exposição para criar, ao lado dos artesãos da Tiffany, peças de design e decoração de edição limitada. Cada um desses artistas também assinou uma vitrine dedicada a expor suas criações. A exposição acontece dos dias 17 de março a 11 de junho.

Os participantes – Harold Mendez, Ajay Kurian, Raul de Nieves, Carrie Moyer e Shara Hughes – aproveitaram a oportunidade para expandir suas habilidades artísticas e experimentar com novos materiais.

Ajay Kurian (b. 1984) trabalhou com artesãos da joalheria para desenvolver 10 porta-cartões de edição limitada com uma palavra “psycho” escrita entre o design complexo cautelosamente gravado em suas superfícies. O termo em inglês faz referência ao filme Psicopata Americano, mais precisamente ao grupo de elite e seu aperto de mãos secreto. Sua instalação para a vitrine faz ainda mais referências ao longa ao retratar cartões de visita caindo, como as escadas do Museu Whitney (projeto de Renzo Piano), onde suas obras serão expostas como parte da Bienal 2017.

Autodenominada uma “abstracionista em estado de êxtase”, Carrie Moyer (b. 1960) é famosa no universo das artes por suas pinturas de grande proporção em acrílico e glitter – que costumam se iniciar por um processo de colagem em papel. Sua vitrine destaca um pingente de prata – também de edição limitada a dez unidades – pendurado em meio a globos e formas geométricas coloridas, que destacam a habilidade da artista de desenvolver texturas.

Inspirado por sua primeira visita ao workshop Tiffany Hallowware, em Rhode Island, Harold Mendes (B. 1977) criou junto aos artesãos da joalheria um vaso em prata, que tem como inspiração a arte pré-colombiana e características mascaras usadas em funerais por povos nativos mesoamericanos. A peça, de 5 unidades exclusivas, é vista cheia d’água ao centro da vitrine arquitetada para viagra sans ordonnance a ocasião. O artista posicionou sobre ela um espelho em um ângulo de 45 graus para dar o devido destaque ao seu interior multicolorido. O display, de ar levemente sombrio, é revestido com tecidos de polimento usados por ourives, contendo assim resquícios de metais preciosos.

A vitrine ornamentada de Raul de Nieves (b. 1984) e uma belíssima gravação em vidro de 18 camadas. A imagem, que retrata duas pessoas apresentando uma criança para o mundo, foi primeiramente gravada em um porta-joias de prata colocada em um portal ao centro do display.

A artista Shara Hughes (b. 1981) reproduziu suas paisagens visionárias em pinturas que ilustram jarros de porcelana pintados manualmente. A obra para a vitrine se movimenta em 360 graus e a iluminação interior varia conforme o horário do dia. Suas pinceladas fortes transportam o público a um cenário fantástico.

As vitrines da Tiffany & Co. – principal patrocinadora da Whitney Biennial 2017 – oferecem aos artistas uma nova plataforma para comunicarem suas visões a um público ainda mais amplo e exporem suas colaborações com os artesãos da joalheria, processo que envolveu um ano de dedicação.

Compartilhar: