White Cube se despede de São Paulo

© Divulgação

© Divulgação

Parece que as grandes instituições de arte que viram no país um solo profíquo para fincar raízes começam a voltar atrás na decisão. Após a Casa Daros anunciar meses atrás o fechamento da sede no Rio de Janeiro, chegou a vez da filial paulista da gigante White Cube fechar suas portas.

Uma das principais galerias britânicas, representante de artistas como Antony Gormley, Damien Hirst, Sarah Morris e Anselm Kiefer, a White Cube funcionou na Vila Mariana nos últimos três anos. Neste período, trouxe grandes mostras de seus artistas representados e marcou o cenário paulistano com badaladas festas e vernissages. Sua última mostra, dedicada ao artista Christian Rosa (foto), segue na galeria até agosto.

Segundo notícia no jornal “O Estado de S. Paulo”, uma funcionária da White Cube em Londres afirmou que o projeto paulistano da galeria já havia nascido com prazo para terminar e que desde sempre se soube que seria galeria temporária. À época de sua instalação, o então diretor da galeria, Tim Marlow, havia declarado que o contrato do imóvel duraria três anos e que, após este período, decidiriam a permanência país.

Compartilhar: