São Paulo recebe festival internacional de arte de rua entre 23 e 25 de outubro

© Divulgação

© Divulgação

Nos dias 23, 24 e 25 de outubro, São Paulo recebe a primeira edição do O.bra Festival, evento internacional de arte de rua no Brasil. Idealizado e organizado por Marcelo Pimentel e Marina Bortoluzzi, os nomes por trás do Instagrafite; Vera Santana, da DaTerra Produções Culturais, e pelo empresário Luan Cardoso, o O.bra será uma verdadeira galeria de arte a céu aberto na cidade. O line-up do festival traz 18 artistas nacionais e internacionais, a maioria da primeira geração da arte de rua, que, convidados a produzir em duplas, vão pintar oito empenas de grande escala e construir uma instalação na região do Largo do Arouche, em São Paulo.

O O.bra foi pensado para existir como um festival exclusivamente direcionado à street art. Sua linha curatorial teve como base a primeira geração da arte de rua do Brasil, movimento formado em meados de 1980 por artistas que, de fato, tiveram a rua como escola e que assim, ajudaram a moldar o estilo e o cenário nacional. “Foi em São Paulo que a arte de rua brasileira começou e é importante mostrarmos para o mundo porque ainda somos a meca da arte de rua global”, diz Marina Bortoluzzi. “São nos precursores do Brasil que nos inspiramos e os quais homenageamos nesta primeira edição do O.bra”, pontua Marcelo Pimentel.

Seguindo o conceito de co-criação em projetos, o O.bra convidou nove artistas e lhes deu a liberdade de convidarem outros nove artistas de sua escolha e preferência, de qualquer lugar do mundo, para pintarem em parceria inédita. Com isso, formou-se o line-up com as duplas que produzirão oito empenas de grande escala: INTI (Chile) e Alexis Diaz (Porto Rico); Jaz (Argentina) e Conor Harrington (Irlanda); Herakut (Alemanha) e M-City (Polônia); Aleksei e Waone Interesni Kazki (Ucrânia); Speto (Brasil) e Never 2501 (Itália); Tinho (Brasil) e Carlos Vergara (Brasil); Binho (Brasil) e Suiko (Japão); Vitché (Brasil) e Jan Kalab (República Tcheca; já Herbert Baglione (Brasil) fará uma instalação de 10x10m no chão, retratando suas icônicas sombras.

Será a primeira vez que os artistas Alexis Diaz, Conor Harrington, Herakut e Interesni Kazki pintam no Brasil, e será também o retorno a São Paulo de artistas como M-City, INTI, Jan Kaláb, Jaz, Suiko e Never 2501, que já morou no país. Os artistas iniciam as pinturas das empenas no dia 13 de outubro, e o público poderá acompanhar no decorrer destes 12 dias o progresso das obras.

Além do intercâmbio cultural entre os artistas, o O.bra pretende trazer a valorização do artista de rua como muralista – que ainda hoje é por vezes marginalizada pela sociedade -, ajudar na revitalização da cidade de São Paulo, fomentar a economia criativa e aproximar a população da arte de rua. “Sentimos falta de um festival de arte urbana no Brasil e queremos existir e voltar anualmente para evoluir este cenário e dar voz aos artistas da street art no país”, diz Vera Santana.

O O.bra ainda terá uma programação vasta com atividades, como yoga na rua, palestras e workshops com artistas e profissionais renomados da street art, cinema ao livre, music jam sessions, dentre outras atividades gratuitas. “A programação do O.bra foi pensada para aproximar os artistas e obras da street art ao público. E até por conta disto as atividades são todas gratuitas, desde os workshops até o cinema e a música”, diz Luan Cardoso.

Todas as inscrições para workshops e palestras serão realizadas exclusivamente pelo site do Itaú Cultural, instituição parceira do O.bra. As inscrições podem ser feitas a partir do dia 19 de outubro. Confira abaixo a programação completa.

Sexta-feira (23/10)

9h às 10h – Yoga na rua com Ciro Castro, do Espaço Yogapada
Ciro Castro é proprietário do Espaço Yogapada, e pratica yoga há mais de dez anos. Expert em alfabetização em sânscrito, a língua original do yoga, e em meditação Zaen. Há dois anos criou o projeto Yoga na Rua (#projetoyoganarua), onde procura colocar os ásanas/posturas do yoga na paisagem da cidade, da mesma forma como um artista busca inserir sua arte em um muro.
Participação livre
Local: Largo do Arouche, São Paulo

10h às 11h30 – O.bra tour com Streets of São Paulo
Thiago Ritual e Pablo Ruiz comandam o Streets of São Paulo uma empresa de tour de graffitis por São Paulo com roteiros de duas a três horas. No O.bra eles apresentam um tour específico pelos murais do Festival em 1h30 de percurso
Participação livre
Local: Largo do Arouche

11h às 14h – “Tags & Throws”, workshop com Ise + Kaur
Um dos grandes nomes do graffiti brasileiro, Claudio Duarte , conhecido como ISE, é natural de São Paulo e cresceu no bairro do Cambuci, local onde teve seu primeiro contato com a arte, em 1992. Tem trabalhos estampados em paredes ao redor do mundo, como Estados Unidos, Inglaterra, Espanha, Holanda, Alemanha, Índia e Nepal. É dono da primeira loja de spray do Brasil, a Grapixo Graffiti Shop, na Galeria do Rock, em São Paulo, e conhecido por suas letras identificadas ao redor da cidade. Kaur nasceu em 1980, no Cambuci, em São Paulo, reduto tradicional do graffiti na cidade. Vindo de uma infância de condições simples, o artista encontrava no trabalho dos grafiteiros da região uma possibilidade de ampliar seu olhar. Foi assim que deu início ao trabalho artístico e, consequentemente, aderiu ao coletivo VLOK, do qual também participa Ise. Neste workshop, Ise e Kaur trazem uma iniciação a qualquer pessoa que queira ter um primeiro contato com uma lata de spray. Através de tags e throw-ups preparados nas paredes, eles ensinarão o manuseio da lata de spray, controle, bicos, preenchimento e graffiti letters. Ninguém sairá um grafiteiro, mas terá as noções básicas para percorrer sua história.
30 vagas
Local: BK30, Largo do Arouche, 77

12h às 18h – Food Trucks & Food Bikes
O público encontrará trucks do Veggies na Praça, Massa na Caveira, La Buena Station, APETEAT Food Truck, Só Coxinhas, Los Mendozitos, Adoro Brownie, Frida & Mina e BIKE CAFÉ
Local: Largo do Arouche

15h às 16h30 – Pedal fotográfico com Ivson Miranda
Neste encontro, Ivson Miranda, fotógrafo e ciclista, comanda um pedal com saída no Largo do Arouche e paradas em diversos pontos da cidade para documentação fotográfica. Os participantes serão convidados apostar as fotos nas redes sociais com a hashtag #pedalObra.
Participação livre
Local de saída/encontro: Largo do Arouche

16h às 18h30 – Music Jam Session com curadoria de Streetmusicmap
Discotecagem de Kick bucket, Emblues Beer Band e Chaiss na mala
Local: Largo do Arouche

18h às 20h – “Grafitti digital”, workshop com VJ Suave
A dupla VJ Suave é formada por Ygor Marotta, brasileiro, e pela, argentina, Ceci Soloaga. Residentes em São Paulo, os artistas audiovisuais trabalham juntos desde 2009 e são especializados em tecnologia de projeção em movimento. Juntos fazem intervenções urbanas, performances audiovisuais, instalações e curta-metragens. Entre as técnicas utilizadas estão o vídeo mapping, projeções em grande escala sincronizadas com música em tempo real e o light painting, onde desenhos são feitos e animados ao vivo em uma apresentação que permite o improviso dos artistas, transportando o público para um universo lúdico através de uma experiência multissensorial de luzes, cores e mensagens de amor. A oficina da dupla VJ Suave apresentará o Suaveciclo, um triciclo acoplado com projetor que transmite animações em tempo real. Com o grupo criarão desenhos que ganharão vida por animação proporcionando assim um graffiti digital nas paredes ao em torno do Largo do Arouche.
30 vagas
Local: BK30, Largo do Arouche, 77

18h às 19h – “História da Arte de Rua em São Paulo e no Brasil”, palestra com Binho, Tinho, Vitché e Speto

Os artistas Tinho, Binho, Speto e Vitché fazem parte da primeira geração de graffiti no Brasil e tiveram a rua como escola. Eles são de uma época influenciada pelo movimento Hip Hop e pelo Skate em São Paulo, em meados da década de 1980. Hoje, fazem parte do panorama mundial do graffiti, e são forte influência na atual geração de artistas de rua do Brasil. Este bate-papo inédito, reunindo todos em um mesmo espaço, será conduzido por Tinico Rosa, tatuador conhecido e amigo pessoal dos artistas, proporcionando uma conversa descontraída sobre passado, presente e futuro de arte de rua no Brasil e no mundo.
Moderador: Tinico Rosa
100 vagas
Local: Livraria Cultura, no Conjunto Nacional, Alameda Santos, 2152

20h às 22h – Exibição do filme “Cartograffiti”

Retrato da conexão entre o processo da pintura na Av. 23 de Maio e a exposição Cartograffiti – Legalidade e Legitimidade, que ficou em cartaz de 24 de janeiro a 29 de março de 2015, no Centro Cultural São Paulo, pelo artista Mauro Neri da Silva, mais conhecido como Veracidade.
60 lugares
Local: BK30, Largo do Arouche, 77

Sábado (24/10)

8h às 9h – Pedal fotográfico com Ivson Miranda

Neste encontro, Ivson Miranda, fotógrafo e ciclista, comanda um pedal com saída no Largo do Arouche e paradas em diversos pontos da cidade para documentação fotográfica. Os participantes serão convidados apostar as fotos nas redes sociais com a hashtag #pedalObra.
Participação livre
Local de saída/encontro: Largo do Arouche

8h às 10h – Nike Running + Club
Nike+ Run Club é um projeto da Nike que traz a corrida para outro nível. Propõe treinos de corrida por São Paulo em que novas paisagens, ruas e calçadas da cidade possam ser descobertas, organizando percurso, música e água. Para o O.bra oferece um treino exclusivo saindo do Largo do Arouche.
Participação livre
Local: Largo do Arouche

9h às 10h30 – Bike Tour SP Rota Arte de Rua
O Bike Tour SP é um passeio de bicicleta gratuito formado por um grupo de até 10 pessoas que vai pedalando acompanhado por um monitor e com um equipamento de áudio acoplado no capacete, que informa dados e curiosidades dos pontos turísticos visitados, em português e inglês. Para o O.bra, eles estreiam a rota Arte de Rua, focada nas artes do Centro Novo e nas empenas do Festival.
Participação livre
Local: Largo do Arouche

10h às 11h – Yoga na rua com Ciro Castro, do Espaço Yogapada
Ciro Castro é proprietário do Espaço Yogapada, e pratica yoga há mais de dez anos. Expert em alfabetização em sânscrito, a língua original do yoga, e em meditação Zaen. Há dois anos criou o projeto Yoga na Rua (#projetoyoganarua), onde procura colocar os ásanas/posturas do yoga na paisagem da cidade, da mesma forma como um artista busca inserir sua arte em um muro.
Participação livre
Local: Largo do Arouche, São Paulo

10h às 11h30 – O.bra tour com Streets of São Paulo
Thiago Ritual e Pablo Ruiz comandam o Streets of São Paulo uma empresa de tour de graffitis por São Paulo com roteiros de duas a três horas. No O.bra eles apresentam um tour específico pelos murais do Festival em 1h30 de percurso
Participação livre
Local: Largo do Arouche

12h às 13h30 – Bike Tour SP Rota Arte de Rua
O Bike Tour SP é um passeio de bicicleta gratuito formado por um grupo de até 10 pessoas que vai pedalando acompanhado por um monitor e com um equipamento de áudio acoplado no capacete, que informa dados e curiosidades dos pontos turísticos visitados, em português e inglês. Para o O.bra, eles estreiam a rota Arte de Rua, focada nas artes do Centro Novo e nas empenas do Festival.
Participação livre
Local: Largo do Arouche

12h às 18h – Food Trucks & Food Bikes
O público encontrará trucks do Veggies na Praça, Massa na Caveira, La Buena Station, APETEAT Food Truck, Só Coxinhas, Los Mendozitos, Adoro Brownie, Frida & Mina e BIKE CAFÉ
Local: Largo do Arouche

15h – Bike Tour SP Rota Arte de Rua
O Bike Tour SP é um passeio de bicicleta gratuito formado por um grupo de até 10 pessoas que vai pedalando acompanhado por um monitor e com um equipamento de áudio acoplado no capacete, que informa dados e curiosidades dos pontos turísticos visitados, em português e inglês. Para o O.bra, eles estreiam a rota Arte de Rua, focada nas artes do Centro Novo e nas empenas do Festival.
Participação livre
Local: Largo do Arouche

14h às 17h – “Adesivos, Serigrafia e Lambe-Lambe”, workshop com SHN
Coletivo de arte formado por André Ortega, Daniel Cucatti, Eduardo Saretta, Haroldo Paranhos, Marcelo Fazola e Rogério Fernandes (CDR). Multidisciplinar, o grupo reúne artistas de rua com atuações diversas como música, arquitetura, tatuagem e vídeo-produção. SHN trabalha com ícones universais, re-significando o conceito de logotipo e marca. Apropriação e transformação de imagens, assim como a transposição para diversas mídias, atravessam a discussão proposta pelo coletivo. O participante irá fazer parte do processo de criação do coletivo SHN produzindo impressos em serigrafia de imagens da rua. No entorno do Largo do Arouche, o participante vai fotografar, produzir uma tela de serigrafia e imprimir no papel. O resultado será algumas edições de fotografias impressas em serigrafia e um mapeamento da região representado pela documentação coletiva. O programa do workshop envolve também técnicas de produção de etiqueta adesiva, tratamento e apropriação de imagem, produção de fotolito, revelação da matriz e impressão. O trabalho será realizado em dois dias seguidos, durante o Festival.
30 vagas
A partir de 14 anos
Material necessário: Celular com câmera e cabo para descarregar as fotos
Local: BK30, Largo do Arouche, 77

14h às 17h – “Fotografia de rua”, workshop com Flávio Samelo
Desde 1992, Flavio Samelo anda pelas ruas de São Paulo fotografando skatistas. Alguns deles eram também grafiteiros e outros pichadores que acabavam convidando Samelo, como é conhecido, parafotografar os grafites e os pichos também pelas ruas da cidade. Esse foi o começo de muita história para o fotógrafo que acabou entrando para a arte pelas ruas, assim como entrou na fotografia. Essa outra produção acabou levando Samelo a introduzir em suas fotografias de skate, os grafites, pichações e outros elementos urbanos que lhe chamavam a atenção nas sessions de skate e que foi seu diferencial durante o começo de suas fotografias. Flavio Samelo irá primeiro conversar, em sala de aula, com os participantes sobre sua experiência mostrando, através de suas fotografias, técnicas e dicas de como fotografar na rua. Após um papo de uma hora, ele e todos irão sair a campo em busca de cliques pelo Festival, capturando não só as artes e a programação do O.bra, mas outras cenas paralelas que também acontecem e não percebemos por ali.
30 vagas, inscrições no site www.itaucultural.org.br/festivalobra
A partir de 14 anos
Material necessário: Celular com câmera e cabo para descarregar as fotos

Local: Escola da Cidade, Rua Gen. Jardim, 65 – Vila Buarque

15h às 16h30 – O.bra tour com Streets of São Paulo
Thiago Ritual e Pablo Ruiz comandam o Streets of São Paulo uma empresa de tour de graffitis por São Paulo com roteiros de duas a três horas. No O.bra eles apresentam um tour específico pelos murais do Festival em 1h30 de percurso
Participação livre
Local: Largo do Arouche

16h às 17h – “Arte de rua: uma visão global pela fotografia”, palestra com Martha Cooper
Martha Cooper é uma fotojornalista americana, nascida nos anos 40 em Baltimore, Maryland. Com experiência como fotógrafa no New York Post e na National Geographic, nos anos 70, descobriu a cena do graffiti na mesma época e desde lá nunca mais parou. Hoje é uma das grandes referências e lendas no universo da arte de rua. Nesta palestra, ela irá contar sua história, experiência e apresentar registros preciosos que relatam o início e o surgimento do graffiti até os dias de hoje.
100 vagas
Local: Escola da Cidade, Rua Gen. Jardim, 65 – Vila Buarque

16h às 18h30 – Music Jam Session com curadoria de Streetmusicmap
Com Luiza Zorzi, O Grande Grupo Viajante e Amoradia do Som
Local: Largo do Arouche

18h às 19h – “Grandes marcas e a arte de rua”, palestra com SWK, Piá, Fernando Chamarelli, Cranio e Adriano Furtado (Brand Design da Nike)
Os artistas SWK, PIá, Fernando Chamarelli e Cranio, embaixadores atuais da marca Nike, participam de um papo com Adriano Furtado, Brand Design da marca, contando sobre a mais recente campanha “Corra para” que apresenta o #VemJunto uma plataforma para proporcionar corridas por temáticas estipulando o hábito de correr e perceber a cidade de outro jeito. A conversa será conduzida por Marina Bortoluzzi, do Instagrafite, realizador do Festival O.bra.
70 vagas
Local: Galeria do Rock, Rua Vinte e Quatro de Maio, 62 – República

20h às 22h – Exibição do filme “Next: a Primer on Urban Painting”
Documentário canadense, de 2005, criado e produzido pelo curador e cinegrafista chileno Pablo Aravena que conta histórias e apresenta personalidades do mundo da arte de rua em cidades dos Estados Unidos, Canadá, França, Holanda, Alemanha, Inglaterra, Espanha, Japão e Brasil.
60 lugares
Local: BK30, Largo do Arouche, 77

Domingo (25/10)

8h às 9h – Pedal fotográfico com Ivson Miranda
Neste encontro, Ivson Miranda, fotógrafo e ciclista, comanda um pedal com saída no Largo do Arouche e paradas em diversos pontos da cidade para documentação fotográfica. Os participantes serão convidados apostar as fotos nas redes sociais com a hashtag #pedalObra.
Participação livre
Local de saída/encontro: Largo do Arouche

10h às 11h – Yoga na rua com Ciro Castro, do Espaço Yogapada
Ciro Castro é proprietário do Espaço Yogapada, e pratica yoga há mais de dez anos. Expert em alfabetização em sânscrito, a língua original do yoga, e em meditação Zaen. Há dois anos criou o projeto Yoga na Rua (#projetoyoganarua), onde procura colocar os ásanas/posturas do yoga na paisagem da cidade, da mesma forma como um artista busca inserir sua arte em um muro.
Participação livre
Local: Largo do Arouche, São Paulo

10h às 11h30 – O.bra tour com Streets of São Paulo
Thiago Ritual e Pablo Ruiz comandam o Streets of São Paulo uma empresa de tour de graffitis por São Paulo com roteiros de duas a três horas. No O.bra eles apresentam um tour específico pelos murais do Festival em 1h30 de percurso
Participação livre
Local: Largo do Arouche

11h às 14h – “Caligrafia e Hand Lettering”, workshop com Felipe Grimaldi
Filipe Grimaldi é letrista e diretor de arte da SINLOGO. Há quase dez anos desenvolve projetos e trabalhos comerciais e autorais de design e tipografia. Nos últimos 5 anos se focou no estudo de técnicas manuais de caligrafia e hand lettering, migrando parte do seu trabalho para o desenvolvimento de letterings e a pintura de placas e objetos a mão. O workshop pretende introduzir o aluno a alfabetos caligráficos e letras desenhadas a mão, passando por técnicas, materiais e teoria de cada alfabeto, finalizando com trabalho final de composição utilizando todo o material e técnicas aprendidas. O estudo dos alfabetos e da composição deles tem por objetivo incentivar a visão do aluno a utilizar essas técnicas para desenvolvimento de projetos e não profissionalizar em cada um deles.
30 vagas.
Material necessário: 1 lápis grafite; 1 régua; 1 caneta pincel Tombow ou Koi Preta; 1 caneta Sharpie ponta fina; Folhas de papel tamanho A3
Local: BK30, Largo do Arouche, 77

12h às 18h – Food Trucks & Food Bikes
O público encontrará trucks do Veggies na Praça, Massa na Caveira, La Buena Station, APETEAT Food Truck, Só Coxinhas, Los Mendozitos, Adoro Brownie, Frida & Mina e BIKE CAFÉ

Local: Largo do Arouche

15h às 16h – “Arte, ferramenta recriadora das cidades”, palestra com Baixo Ribeiro, Felipe Morozini e Eduardo Srur
Felipe Morozini, fotógrafo, multiartista apaixonado por São Paulo e um dos diretores da Associação Parque do Minhocão; Baixo Ribeiro, fundador da Galeria Choque Cultural e curador de arte que hoje conduz seu Instituto Choque Cultural com aulas sobre arte e cidade; e Eduardo Srur, artista visual conhecido por suas intervenções urbanas na cidade de São Paulo. Os três participam de uma conversa descontraída e inspiradora, conduzida pela jornalista Renata Simões,contando suas experiências e sugestões de como a arte pode ocupar e recriar de uma maneira positiva as cidades.
Moderadora: Renata Simões
100 vagas.
Local: Escola da Cidade, Rua Gen. Jardim, 65 – Vila Buarque

14h às 17h – “Adesivos, Serigrafia e Lambe-Lambe”, workshop com SHN
Coletivo de arte formado por André Ortega, Daniel Cucatti, Eduardo Saretta, Haroldo Paranhos, Marcelo Fazola e Rogério Fernandes (CDR). Multidisciplinar, o grupo reúne artistas de rua com atuações diversas como música, arquitetura, tatuagem e vídeo-produção. SHN trabalha com ícones universais, re-significando o conceito de logotipo e marca. Apropriação e transformação de imagens, assim como a transposição para diversas mídias, atravessam a discussão proposta pelo coletivo. O participante irá fazer parte do processo de criação do coletivo SHN produzindo impressos em serigrafia

de imagens da rua. No entorno do Largo do Arouche, o participante vai fotografar, produzir uma tela de serigrafia e imprimir no papel. O resultado será algumas edições de fotografias impressas em serigrafia e um mapeamento da região representado pela documentação coletiva. O programa do workshop envolve também técnicas de produção de etiqueta adesiva, tratamento e apropriação de imagem, produção de fotolito, revelação da matriz e impressão. O trabalho será realizado em dois dias seguidos, durante o Festival.
30 vagas.
A partir de 14 anos
Material necessário: Celular com câmera e cabo para descarregar as fotos
Local: BK30, Largo do Arouche,77

15h às 16h – O.bra tour com Streets of São Paulo
Thiago Ritual e Pablo Ruiz comandam o Streets of São Paulo uma empresa de tour de graffitis por São Paulo com roteiros de duas a três horas. No O.bra eles apresentam um tour específico pelos murais do Festival em 1h30 de percurso
Participação livre.
Local: Largo do Arouche

16h às 18h30 – Music Jam Session com curadoria de Streetmusicmap
Com Pedro Pastoriz, Gran Tormenta e The Lonesome Duo
Local: Largo do Arouche

16h às 17h – “Rackeamento de estruturas simbólicas”, palestra com Stephan Doitschinof
A obra de Stephan Doitschinoff desdobra-se em diferentes vertentes que vão desde pintura, instalações em contexto museológico, arte pública, video, música e performance. Em todas estas abordagens, seu trabalho é permeado por uma linguagem altamente criptografada e simbólica. O que a primeira vista parece ser uma narrativa visual impregnada de referências religiosas ou esotéricas, sob um olhar mais cuidadoso revela um processo de apropriação de estrutura e ressignificação. O conteúdo é formado por questionamentos que visam promover um espaço de reflexão e crítica, não necessariamente relacionado à religião. A estrutura religiosa é escolhida por ser uma linguagem comum, que tem o poder de capturar a atenção do grande público através da familiaridade e de sua presença massiva na sociedade desde suas fundações.
100 vagas.
Local: Escola da Cidade, Rua Gen. Jardim, 65 – Vila Buarque

20h às 22h – Exibição do filme “Pixadores”
O filme Pixadores, do diretor Amir Escandari, traz a questão da pixação como sendo uma das formas de expressão cultural originária das ruas de São Paulo. Pixadores é uma história de jovens como Djan, Willian, Biscoito e Ricardo, que se encontram desempregados e realizam trabalhos alternativos para sustentar suas famílias. As histórias desses jovens mudam quando são convidados para realizar algumas oficinas na 7º Bienal de Berlim. Eles se deparam com uma desafiadora cultura e realidade local. O choque cultural e a subversão da ordem também são desafiados na Europa. Esses jovens nunca antes haviam saído do Brasil, e reproduzindo a realidade de São Paulo, farão suas pixações pela Alemanha em um processo de contracultura.
60 lugares.
Local: BK30, Largo do Arouche, 77

Compartilhar: