Rio recebe TRIO Bienal

© Fabio Carvalho, Eros & Psique | Foto: Divulgação

A cada dois anos, uma mudança de foco em setembro faz com que as atenções do circuito artístico saiam um pouco do eixo Rio-São Paulo e migrem para a Região Sul, onde acontecem as bienais de Curitiba e do Mercosul. Este ano, porém, estas duas tradicionais bienais ganham uma companheira no Rio de Janeiro: no dia 05 de setembro, chega pela primeira vez à cidade a TRIO Bienal, bienal internacional de arte contemporânea em torno do tridimensional, que pretende seguir os passos das consagradas bienais de Veneza e a de São Paulo.

Com curadoria de Marcus de Lontra Costa – da icônica mostra “Como vai você, Geração 80?” – e produção executiva de Alexandre Murucci, a TRIO Bienal acontece até 26 de novembro, reunindo 170 artistas de 47 países, em exposições e eventos distribuídos em onze diferentes espaços da cidade, incluindo museus e instituições culturais, como o Centro Cultural Banco do Brasil. As diversas aberturas acontecerão de 5 a 11 de setembro, sendo a cerimônia oficial de abertura no dia 05, às 16h, no Centro Cultural Oscar Niemeyer, onde será inaugurada a exposição “Celebrando Franz Weissmann”, com obras de grande escala no terraço do complexo.

Todas as obras selecionadas para compor a bienal abordam o tridimensional – escultura, instalações, objetos – assim como, em todos os seus campos ampliados – pintura, fotografia, performance, vídeo e outros suportes enquanto investigação tridimensional – além de pontuações históricas de apoio sobre o tema curatorial: “Quem foi que disse que não existe amanhã ?”, verso de letra de uma música do rapper Marcelo D2, pinçada num momento de incertezas e crise, tanto no Brasil quanto no mundo, sintetizando a persistência do caráter projetual e utópico da arte, que sobrevive, mesmo no terreno movediço do pensamento contemporâneo. Este diferencial foi importante na boa recepção do projeto, que conseguiu a adesão de 47 países, convidados com o apoio da Coordenadoria de Relações Internacionais da Prefeitura do Rio.

Parte das comemorações dos 450 anos do Rio de Janeiro, a TRIO Bienal passa, desde já, a integrar o calendário oficial da cidade. Como um evento de arte internacional, a bienal tem como meta fortalecer a posição do Rio de Janeiro como destino global em geral e, em especial, no circuito internacional de arte contemporânea, atraindo a média de audiência típica de mostras deste foco, que é de 300 mil visitantes externos nas cidades que o promovem, segundo dados da Biennial Foundation.

Dentre a extensa lista de nomes divulgados, o público poderá conferir de perto obras de arte dos mais renomados artistas, como Marina Abramovic, Joana Vasconcelos, Daniel Buren, Xavier Veilhan, Los Carpinteros, Vik Muniz, Marepe, Waltercio Caldas, Anna Bella Geiger, Angelo Venosa, Nelson Leirner, Alex Flemming, Arthur Lescher, Barrão, Celina Portela, Farnese de Andrade, Henrique Oliveira, José Rufino, Marcelo Moschetta, Matheus Rocha Pitta, e dezenas de novos nomes no campo tridimensional.

Compartilhar: