Metrô Rio exibe a instalação “Gigantograph – Cars Naval Superstickers”, de Alê Jordão

© Divulgação

© Divulgação

A convite da Spray Art com apoio do Metrô Rio, o artista paulistano Alê Jordão apresenta até dia 6 de novembro a instalação “Gigantograph – Cars Naval Superstickers”, que ocupa o corredor de embarque da Estação General Osório, em Ipanema.

“Gigantograph” tem curadoria de Baixo Ribeiro e é a continuação de uma pesquisa de Jordão sobre mobilidade urbana e a ocupação do carro na cidade. A instalação é produzida a partir da técnica de colagem em gigantografia – que é a uma mistura de fotografia impressa em grandes extensões e a linguagem dos stickers. Com essa mistura improvável, o artista busca transformar um espaço impessoal da área de embarque da Estação, num lugar de reflexão poética. O tema da mobilidade é tratado com humor e delicadeza, abrindo diálogos com vários públicos, especialmente com os jovens – que apreciam as linguagens da arte urbana.

O artista faz uso de uma linguagem semelhante à propaganda para chamar a atenção do público e, em um segundo momento, despertar reflexões críticas. “Carros que sobem pelas paredes, que se amontoam uns sobre os outros, uma chuva de marcas sobre a cabeça das pessoas”, fala Baixo Ribeiro. “Através da narrativa direta e figurativa, Alê Jordão ironiza a imagem da ‘cidade congestionada’ e expõe a fragilidade do corpo-pedestre em confronto permanente com a agressividade da ‘massa de lata’”, completa.

Com “Gigantograph – Cars Naval Superstickers”, Alê Jordão traz ao público a reflexão sobre o amanhã. “É um pensar sobre o momento em que o caos de hoje terá fim, e onde o transporte público e a cultura ajudarão a amenizar as horas perdidas no tráfego”, explica o artista. “Um futuro onde a força da cidadania aliada a projetos culturais, e à mobilidade do serviço público, pode fundir a ideia de um amanhã menos traumático”, ele diz.

O Urban Art Gallery é um projeto organizado pela Spray Art em parceria com o Metrô Rio, que envolverá grandes artistas brasileiros das mais diversas modalidades para criar uma galeria de arte urbana contemporânea dentro das dependências do metro seguindo a tendência do movimento artístico “Lowbrow”, que consiste em uma conexão direta entre artista e público, e isso fora de espaços convencionais, como os museus e as galerias, trazendo em evidência a discussão sobre mobilidade e sustentabilidade, onde a melhor solução é o transporte coletivo, mais conscientizado e menos poluído. O conceito do projeto é apresentar um panorama das artes contemporâneas em espaços variados.

Compartilhar: