Mais de 200 artistas assinam carta em defesa da Documenta 14

Synnove Persen Sami, Flag Project Installation

Synnove Persen Sami, Flag Project Installation

Mais de 200 artistas que participaram da Documenta 14 entraram em defesa ao diretor artístico Adam Szymczyk e do departamento financeiro do evento quinquenal em uma carta aberta divulgada por email na segunda-feira. Artistas como Emily Jacir, Geta Brătescu, Jonas Mekas, Piotr Uklanski e Stanley Whitney estão entre os assinantes.

A situação financeira precária da documenta surgiu na semana passada, quando o jornal alemão HNA informou que os co-proprietários do evento, a cidade de Kassel e o estado de Hesse concordaram em emitir um pacote de apoio de emergência de EUR 7 milhões (US$ 8,3 milhões) para manter a exposição em funcionamento após a última iteração, que fechou ontem, drasticamente acima do orçamento inicial.

Na carta, os artistas criticaram a “antiga técnica de guerra financeira” de “envergonhar a dívida”, explicando que “esses termos de avaliação não têm nada a ver com o que os curadores fizeram possível e o que os artistas realmente fizeram nesta exposição”.

Os assinantes representam a grande maioria dos mais de 250 artistas que participaram da Documenta 14. Outros artistas “continuam a adicionar seus nomes à medida que a carta vai sendo atualizada”, de acordo com uma declaração enviada por email que acompanha a carta. Os assinantes sugeriram que o artigo do HNA era uma tentativa de “subjugar politicamente” Adam Szymczyk, o CEO da documenta Annette Kulenkampff e outros funcionários.

Em sua carta, os artistas elogiaram a decisão do Documenta 14 de organizar grandes apresentações tanto em Kassel quanto em Atenas, embora a HNA sugerisse que o ramo do evento de Atenas era o principal motivo do excesso de gastos. “Aplaudimos a decisão da Documento 14 para não cobrar preços de ingressos em Atenas”, escreveram os artistas. “De fato, mais movimentos de deslocamento das zonas de conforto e inclusão de múltiplas vozes, muitos de fora da hegemonia ocidental, devem ser o futuro”.

Os artistas também reiteraram a afirmação da equipe curatorial de que o significado da arte – e o sucesso de uma exposição – não pode ser medido pelo retorno financeiro. “Estamos preocupados com esse desejo de colocar as vendas de ingressos acima da arte … Nós sentimos que lançar uma falsa sombra de crítica e escândalo sobre o Documenta 14 faz uma injúria do trabalho que o diretor artístico e sua equipe colocaram nesta exposição”.

Os assinantes elogiaram a Documenta pelo apoio contínuo de artistas, especialmente aqueles “não representados por galerias comerciais”, aqueles que trabalham “em práticas não materiais, efêmeras e sociais” e artistas de várias partes do mundo “ainda sub-representados em grandes eventos de arte”.

Compartilhar: