Letícia Ramos vence o prêmio BES PHOTO 2014

A brasileira Letícia Ramos foi a grande vencedora do BES Photo, um dos maiores do mundo em fotografia de arte.

 

Letícia Ramos, fotógrafa de arte brasileira, foi anunciada como vencedora no inicio de julho pela assessoria do prêmio. BES Photo é hoje um dos principais prêmios para fotografia de arte do mundo, com valor em dinheiro de 40 mil euros, e foca em artistas de países de língua portuguesa. Esta é a 10a edição do prêmio.

Em 2014, os finalistas foram Délio Jasse (Angola), José Pedro Cortes (Portugal) e Letícia Ramos (Brasil). Todos receberam uma bolsa para desenvolverem trabalhos, que ficam expostos até setembro de 2014 no Museu Berardo, em Portugal. Esta reunião de exposições individuais dos três finalistas serviu de base para a eleiçãoda vencedora por um juri, formado por Jacopo Crivelli Visconti (Brasil), crítico e curador independente; João Fernandes (Portugal), diretor do Museu Reina Sofia, em Madrid; e Bisi Silva (Nigéria), fundadora e diretora do Centre for Contemporary Art, em Lagos. 

Depois de expostos em Portugal, os trabalhos seguem para o Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, para exposição a partir de outubro. 

De acordo com comunicação oficial dos jurados, Délio Jasse, de Angola, foi selecionado em função de três trabalhos distintos, mas interrelacionados, que exploram as formas como o passado continua a ter impacto no presente. Estes vestígios do passado manifestam-se de maneiras diferentes: em Arquivo Urbano (2013), através da história colonial. Na série Além_Mar (2013), pela transformação da paisagem urbana, voltando o foco para a capital Luanda, cuja arquitetura dos anos 1950 a 1970 vem sendo apagada por edifícios novos, ou apenas através de imagens de indivíduos encontradas pelo mundo fora, em feiras de objetos usados, como em Contacto (2012).

Uma narrativa mais pessoal e intimista, que transita no limite entre o público e privado, é o atrativo do trabalho do português José Pedro Cortes, que volta suas lentes para a relação entre os lugares e as pessoas que os habitam. Seu projeto, apresentado no espaço Carpe Diem, em Lisboa, foi também selecionado para a European Exhibition Photo Award em 2012.

O Brasil está representado pela jovem Letícia Ramos, que cativou o juri com suas exposições recentes no espaço Pivô, em São Paulo, e no Museu do Trabalho de Porto Alegre. Em ambas, construiu aparatos que mostram um processo de criação de imagens ao mesmo tempo simples e sofisticadas, sugerindo também uma reflexão sobre a evolução do meio fotográfico.

 Em 2013, o brasileiro Pedro Motta levou o prêmio, que foi tema de matéria na edição 29 da Dasartes (agosto/setembro 2013)

Saiba mais em http://www.bes.pt/

Compartilhar: