“Hélio Oiticica – Estrutura Corpo Cor” leva 60 obras do artista para Fortaleza

© Foto: Jaime Acioli

© Foto: Jaime Acioli

Dos originais parangolés aos bólides complexos, capazes de se remodelar com o olhar por meio de texturas, cores vivas e elementos que provocam o imaginário, o artista carioca Hélio Oiticica (1937-1980) é a síntese do artista libertário. Inventor e anfitrião de seus próprios trabalhos, resultantes de uma mente aguda, inquieta, movida por técnica precisa e valores que encontravam nas questões sociais e políticas sua grande tela para se esboçar, o artista rompeu a linha que dividia a obra e o espectador, tornando a interação e a sensorialidade parte fundamental de sua obra e da apreciação da mesma.

A exposição Hélio Oiticica – Estrutura Corpo Cor acontece no Espaço Cultural Airton Queiroz, da Unifor, em Fortaleza, de 26 de janeiro até 1º de maio de 2016 e conta com 60 obras do artista.

Com curadoria de Celso Favaretto e Paula Braga, as 60 obras mostram a transformação do artista, que partiu da pintura para chegar ao além-da-arte (por ele denominado “invenção), saindo da bidimensionalidade para a múltipla experiência sensorial, dando corpo teórico e experimental à interação entre o público e a obra, unindo arte e vivência. Os 17 espaços da exposição, assim, marcam as diferentes fases do artista, como o Grupo Frente, os Metaesquemas, Seco, Bólides, Neoconcretismo, Macaleia, Relevos espaciais e outros. A exposição contempla ainda um espaço educativo e uma cronologia do artista, nos ambientes térreos do Espaço Cultural.

Abertura – 26.01.2016

A mega exposição estréia com 40 obras do projeto Hélio Oiticica, concebidas em parceria com César Oiticica Filho, que estava presente na abertura. Neville d’Almeida, co-autor das Cosmococas também prestigiou o evento.

Além destas 40 obras, haviam mais 5 da coleção Edson Queiroz e outras de coleções particulares. Houve dificuldade para conseguir a lista de obras, já que o artista será tema de uma grande retrospectiva que terá itinerância por 3 cidades dos Estados Unidos a partir de maio e para qual muitos colecionadores já tinham prometido suas obras.

Grande parte da exposição é interativa, os visitantes são encorajados a vestir os 3 parangolés e sambar ao som de Gilberto Gil, adentrar os 2 penetráveis e manipular algumas bolides.

Imperdível, a Dasartes recomenda.

Nenhuma imagem anexada.

Compartilhar: