Gotas de água são ampliadas em prédios em intervenção urbana

"Zona de Lançamento" é um projeto de intervenção urbana que une arte, música e dança

No Museu de Arte do Rio, gotas de água projetadas escorrerão pelas paredes no fim de semana entre 24 e 26 de outubro. Esta é uma intervenção urbana arquitetada por Valéria Martins, reunindo a artista visual Marta Jourdan, o músico Daniel Castanheira e um grupo de bailarinos: Paulo Mazzoni, Guilherme Veloso, Suzana Hinds e Letícia Ramos. Além da projeção do trabalho “Zona de Lançamento”, de Marta Jourdan de 2007, Castanheira acompanha a água com uma improvisação sonora e embala bailarinos acrobatas numa performance espontânea.

Em plena crise de abastecimento no estado de São Paulo e com igual previsão já anunciada para o Rio, lembrando dos desmatamentos, risco de extinção do cerrado e outras tragédias ambientas brasileiras, o projeto ganha uma dimensão política importante. O trabalho de Marta mostra gotas d’água que, sobre a lente de retroprojetores antigos, são ampliadas e projetadas nas paredes. Se em exibições anteriores o espectador era embebido pela poética das paredes que começavam a ser lentamente invadidas por inexplicável água, agora ele se depara com construções da cidade chorando as últimas gotas e fica frente a frente com a possibilidade da ausência, com o medo da falta d’água, em uma viagem onde a água parece brotar do inesperado.

Valéria Martins diz que “aguando fachadas de forma conceitual e artística pode levar eventualmente a fazer com que os transeuntes cidadãos reflitam algo sobre a questão política atual da água, mas isso só reflete a capacidade provocadora e subjetiva do trabalho, permitindo que cada um observe, se afete e reflita” sobre o assunto.

O projeto “Zona de Lançamento” começou no início deste mês no Rio. Já foram feitas intervenções no Shopping Madureira, durante quatro dias, depois na Pavuna, no Arena Jovelina Pérola Negra e o encerramento vai ser no Museu de Arte do Rio. A ideia de levar arte para outros pontos que não sejam só a zona sul também é um diferencial desse projeto.

A realização é resultado de 7 anos de pesquisa. Valéria Martins, que foi por 20 anos diretora artística, produtora, figurinista e empresária do Intrépida Trupe, explica que “todo o mote do trabalho veio pelo conceito de unir corpos tonificados, especializados e artísticos a obras de arte. A escolha da obra Zona de Lançamento da Marta, foi pela plasticidade dela e a afinidade da fluidez das águas aos corpos. Minha motivação visa sempre resignificar os espaços urbanos, ocupá-los de forma diferenciada, provocar um novo olhar para eles”, conta.

 

 

 

Compartilhar: