Cosac Naify anuncia o fim de suas atividades

© Divulgação

© Divulgação

Com quase 20 anos de mercado e mais de 1.600 títulos no catálogo, a editora Cosac Naify teve seu fim anunciado no dia 30 de novembro pelo seu fundador, Charles Cosac.

A editora é conhecida por conhecida por seus livros de arte, clássicos da literatura, e pelo design e acabamento sofisticados de seus livros. O catálogo da Cosac, que será vendido, inclui autores como Pasolini, Tolstói, Claude Lévi-Strauss, Valter Hugo Mãe e o artista plástico Tunga.

Em comunicado enviado a funcionários nesta segunda-feira e reproduzido pelo jornal Folha de S.Paulo, Cosac afirmou: “A editora não está falindo, mas encerrando, e esse é um direito que me cabe”. Em outro trecho, ele escreveu: “Todas as medidas possíveis foram tomadas, mas elas não foram suficientes”.

O primeiro livro da Cosac Naify foi “Barroco de lírios”, do artista plástico Tunga, que conta com mais de 200 ilustrações em mais de 10 diferentes tipos de papel. A partir de então, a editora tornou-se referência em publicações de artes. Um livro do artista pernambucano, ainda em preparo, também encerrará a história da editora.

Recentemente a Cosac Naify lançou, pela primeira vez em português, o livro Bambi, ilustrado pelo artista Nino Cais.

Compartilhar: