Conheça os novos artistas selecionados para a Residência Artística do Red Bull Station

Seis artistas ocuparão os ateliês da 10a edição da Residência Artística do Red Bull Station, sob curadoria de Fernando Velazquez.

Os seis artistas que ocuparão os ateliês da 10a edição da Residência Artística do Red Bull Station, sob curadoria de Fernando Velazquez, compõem um grupo heterogêneo que trabalha com mídias e suportes variados; os artistas vêm de várias partes do país e um deles é estrangeiro.

Cezar Sperinde (RS), Ícaro Lira (CE), Lot Amorós (Barcelona/Espanha), Pedro Cappeletti (SP), Sara Braga (MG) e Vanessa de Michelis (MG) são os novos artistas selecionados para o programa de Residência Artística do Red Bull Station, sob curadoria de Fernando Velazquez, que também assina a direção artística do espaço em 2015.

“Durante a seleção procuramos dar conta de um amplo espectro de pesquisas, tanto de linguagens, como de técnicas e temáticas, além de apostarmos num grupo aberto ao diálogo e as trocas entre si”, diz o curador. O júri responsável pela seleção da nova turma foi composto pela curadora e artista Giselle Beiguelman, a arte educadora e artista, Sandra Cinto e Fernando Velazquez. Entre os critérios adotados pelo júri destaca-se a capacidade do grupo de relacionamento com a arquitetura do prédio, com o entorno e sobretudo com a possibilidade de articular processos criativos colaborativos.

Os seis artistas passam a ocupar os ateliês do Red Bull Station a partir de 2 de fevereiro, e permanecem durante 16 semanas. Diariamente os artistas viverão em uma espécie de laboratório aberto para que as experiências adquiridas possam potencializar suas produções. Estão previstos para o período studio visits, palestras, workshops, exposições e outras atividades, em sua maioria, abertas ao público. Pela primeira vez, um artista estrangeiro foi selecionado para o programa de Residência Artística do Red Bull Station.

Nota do conselho curador sobre a seleção dos artistas:
“Pensamos sempre em um grupo heterogêneo com vista a fomentar o intercâmbio de ideias, linguagens, metodologias e mídias. Nas discussões, privilegiamos artistas que independentemente da sua faixa etária apresentavam pesquisas com possibilidade de expansão durante a residência. Além disso, optamos em dar visibilidade a profissionais que, por diferentes motivos, ainda não receberam a devida atenção no circuito da arte contemporânea. Por último, ressaltamos dois fatores significativos deste processo seletivo que evidenciam a relevância deste projeto: o grande número de inscrições recebidas do exterior e a abrangência geográfica manifestada no resultado final”.

Mudanças no edital
A partir da 10ª Turma do Programa de Residência do Red Bull Station algumas mudanças no edital começam ser postas em prática. Uma delas é a garantia de uma vaga para um artista estrangeiro, o período da residência passa a ser maior e os artistas que residem fora de São Paulo passam a receber maior aporte financeiro, além de passagens aéreas.

Outra novidade importante desta edição é a reformulação da proposta curatorial que pretende se aproximar do multidisciplinar. De acordo com Velazquez, o eixo temático a ser adotado em 2015 também pretende explorar as possibilidades de “arte, estética e política”.

Conheça o diretor artístico e o corpo de curadores que selecionou os artistas para a residência:

Fernando Velazquez, curador e diretor artístico do Red Bull Station
De Montevideu, Uruguai, Velazquez é artista multidisciplinar. Suas obras incluem vídeos, instalações e objetos interativos, e performances audiovisuais. Doutorando em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, Mestre em Moda, Cultura e Arte pelo Senac-SP, participa de exposições no Brasil e no exterior com destaque para a Emoção Art.ficial Bienal de Arte e Tecnologia (Brasil, 2012), Bienal de Cerveira (Portugal, 2013 e 2011), Mapping Festival (Suiça, 2011), WRO Biennale (Polônia 2011), On_off (Brasil, 2011), Bienal do Mercosul (Brasil, 2009), Bienal de Tessalônica (Grécia, 2009), Bienal Ventosul (2009), e o Pocket Film Festival no Centro Pompidou (Paris, 2007). Obteve dentre outros o Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia (Brasil, 2009), Mídias Locativas Arte.Mov (Brasil, 2008), “2008, Culturas” e o Vida Artificial (ambos na Espanha, 2008). Foi curador do Motomix 2007, Papermind Brasil, Dorkbot São Paulo e do Projeto !wr?. Professor da PUC_SP, vive e trabalha em São Paulo.

Giselle Beiguelman, parte do corpo curador do edital
Midiartista, professora da FAU-USP e coordenadora do curso de Design desta instituição. Seu trabalho inclui intervenções em espaços públicos, projetos de rede e aplicações de arte móvel, exibidos internacionalmente nos principais museus de arte e mídia, como ZKM (Alemanha), Callit2 (EUA) e Centro Pompidou (França). Foi curadora do Nokia Trends, Fiat Mostra Brasil, III Mostra 3M de Arte Digital e Diretora do Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia. Recebeu vários prêmios, entre os quais The Top 50 Best (International Media Art Award, ZKM/ SWR).

Sandra Cinto, parte do corpo curador do edital
Escultora, desenhista, pintora, gravadora e professora. Formada em educação artística nas Faculdades Integradas Teresa D’Ávila – Fatea, em Santo André. Atua no Laboratório de Estudos e Criação na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo – MAC/USP. Criadora do troféu para o Prêmio Multicultural Estadão, realizado em São Paulo. Suas obras fazem parte de importantes coleções, como o Inhotim, a Pinacoteca de São Paulo, o MAM do Rio de Janeiro, São Paulo e Recife, Museu de Arte Contemporânea da USP e de San Diego, nos Estados Unidos, entre outros.

Mais sobre a Residência Artística no Red Bull Station

O projeto de Residência Artística é permanente, com duas edições por ano. Os artistas selecionados por meio de edital vivem diariamente uma espécie de laboratório aberto, com palestras e workshops semanais. Cada edição tem duração de 16 semanas e ao final da residência será apresentada uma exposição com os trabalhos desenvolvidos durante o processo.

Mais sobre o Red Bull Station
Localizado em um prédio de 1926, no centro de São Paulo, o Red Bull Station ocupa a antiga subestação Riachuelo, desativada desde 2004 e tombada como patrimônio histórico pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp). Após longa reforma para adaptação ao novo uso do espaço e restauro, o Red Bull Station está de portas abertas para o público.

Com foco em projetos experimentais de artes e música, os cinco andares do Red Bull Station contam com estúdio de música, um projeto permanente de residência artística, tr
ês espaços expositivos, um terraço e uma cafeteria.

O espaço tem acesso gratuito e integra diferentes expressões artísticas, que se misturam em tempo real num ambiente que permite a troca contínua entre artistas e as pessoas que estiverem por lá. Os projetos têm como ponto em comum a valorização do processo, a experimentação e a formação de artistas com inúmeros workshops e palestras na programação.

Red Bull Station
Praça da Bandeira, 137. Centro, São Paulo, SP.
www.redbullstation.com.br

 

Compartilhar: