Confirmado, tela encontrada na França é de Caravaggio ou Caravagismo

© Divulgação

© Divulgação

A obra avaliada em 120 milhões de euros já foi declarada autêntica por diversos especialistas.

Foi um vazamento de água em casa que levaram os donos da casa até o sótão para a grande descoberta de um quadro de 120 milhões de euros. Parece um conto de fadas, mas foi o que aconteceu com os proprietários de uma casa no campo, perto de Toulouse. Escondido no sótão por 150 anos, e em excelente estado, eles encontraram uma tela que parece pertencer ao grande mestre do realismo italiano: Caravaggio.

Judith e Holofernes

O trabalho foi apresentado pela primeira vez na manhã do dia 12 de abril de 2016, por um perito da sociedade parisiense. A pintura é uma cena bibilica querida pelo Merisi: Judith e Holofernes, Decapitação.

Enquanto se aguarda a atribuição oficial, o Ministério da Cultura francês ordenou que a tela não saia do território nacional. “A obra de grande valor artístico – lê-se no despacho de 25 de março – poderia ser uma obra perdida de Caravaggio, conhecido até agora através de evidências indiretas.”

Os especialistas do Centro de Pesquisa e Restauração dos Museus da França tem 30 meses para ver se este é realmente um trabalho original do mestre Milanese. O Louvre estaria interessado em adquirir, e de acordo com a Europe 1 foi em busca de clientes. Após dois anos e meio, se não houver ofertas, a pintura será vendida em todo o mundo.

“Esta luz particular, esta típica energia de Caravaggio, sem correções, com uma mão firme, e esta matéria pictórica fazem desta tela uma autêntica peça”, disse Eric Turquin, a perícia encomendada.

Compartilhar: