Bicicletas transformam-se em praças públicas na nova exposição do Bijari.

Coletivo Bijari abre sua segunda exposição individual, “PRAÇAS (IM)POSSÍVEIS”, na Galeria Choque Cultural.

No dia 14 de março, sábado, às 15h, a Choque Cultural abre a exposição “PRAÇAS (IM)POSSÍVEIS”, do coletivo Bijari. A exposição se desenrola dentro do espaço expositivo da Choque e também nas ruas da Vila Madalena, onde se situa a galeria. O projeto “PRAÇAS (IM)POSSÍVEIS” nasce da experiência cotidiana de transitar pela cidade e interagir com a carência de espaços públicos de descanso – como parques e praças. O projeto surge então como um dispositivo de ativação do espaço ao criar novas formas de convivência na cidade, convertendo temporariamente vazios urbanos em uma praça. A ideia é que qualquer pequeno espaço da cidade possa ter um banco, vegetação e uma sombra. Esses elementos são conectados na figura das bicicletas adaptadas que se transformam em pequenas praças articuláveis entre si.

“Com um guarda chuva/sol, bancos escamoteáveis e floreiras, a escultura-bike se transforma numa micro-praça-pública. E quando algumas dessas praças modulares se encontram, é possível formar espaços de convivência muito confortáveis e provocativos”, conceitua o curador Baixo Ribeiro. “Além das esculturas móveis, o coletivo apresentará uma série de composições gráficas em painéis lenticulares (que se alteram conforme a posição de quem a vê). Também está prevista para a abertura da mostra, uma intervenção no espaço público com a transformação da fachada da Choque e a instalação de uma obra na rua em frente à galeria”, adianta o curador. “”Pensamos nas formas como a arte pode se configurar como elemento transformador do espaço público. Nosso olhar se dirige às fendas através das quais podemos construir uma nova cidade”, pontuam os artistas do coletivo Bijari.

PRAÇAS (IM)POSSÍVEIS from BijaRi on Vimeo.

 

Compartilhar: