Artistas são expulsos de cooperativa em demolição, em Pequim

pequim

No último dia 11 de agosto, membros da comunidade de artistas no distrito de arte de Caochangdi, no nordeste de Pequim, foram obrigados a evacuar de suas casas e estúdios.

Os artistas chineses Ai Weiwei e Wu Yuren, que estavam sob vigilância estatal durante muitos anos quando ainda moravam na China, publicaram em duas redes sociais, imagens gravadas durante os despejos em Caochangdi como gestos de denúncia.

Em seus vídeos, os artistas do departamento de arte da Cooperativa de Iowa, são acordados, com funcionários uniformizados que restringem o acesso ao local. À medida que os artistas são removidos à força de suas residências e estúdios pela polícia chinesa, os trabalhadores da construção civil sentam-se ao lado da entrada da comunidade, esperando para começar seu trabalho de demolição.

Os ocupantes da cooperativa de Iowa receberam uma notificação por escrito em 31 de julho, 1 e 5 de agosto, para deixarem o local, o documento citava a construção ilegal e uso de 6,1 hectares de terra como o motivo oficial para despejo e demolição. Para receber a chegada da equipe de segurança do estado chinês, os artistas da cooperativa montaram um “tapete arco íris” para os policiais de Pequim mobilizados para a operação.

Em vários vídeos, os policiais colocam os artistas para fora da comunidade, que lhes entregam um saco de lixo plástico cheio de notas de RMB (moeda chinesa) com valores de de 100, 50 e 5. Alguns artistas são vistos jogando punhados de notas e esvaziando suas sacolas. Os moradores que expressaram sua indignação quando confrontaram os oficiais, bem como aqueles que estavam relutantes em deixar seus espaços, foram agredidos pela polícia e arrastados para fora do bairro.

Após as expulsões em massa e as demolições que começaram há sete anos no distrito de Chaoyang em Pequim, a zona de arte Caochangdi perseverou em manter seu espírito utópico, tornando-se em casa para muitos artistas. No entanto, muito parecido com a maior colônia de artistas de Songzhuang – China, demolida no início de março – Caochangdi não estava isento dos planos do governo para a renovação econômica e urbana.

Com novos desenvolvimentos de alto nível e despejos de governo vigorosos, artistas chineses estão lutando para localizar um estúdio acessível e espaços de moradia em centros de arte da Ásia Oriental.

Compartilhar: