Chácara Lane reabre com exposição de Marilá Dardot por Redação

© Divulgação

© Divulgação

A Chácara Lane – imóvel tombado em 2004 é remanescente de uma antiga chácara paulistana construída no final do século XIX e uma importante referência histórica para a memória dos assentamentos urbanos na cidade.

Para a reabertura oficial do local como espaço destinado a exposições de arte foi selecionado o trabalho da artista que envoca a memória e o esquecimento, a mostra “Guerra do Tempo” com curadoria de Douglas de Freitas reúne trabalhos de 2002 a 2016 colocando o privilegiado imóvel histórico, restaurado em 2012 pelo Departamento do Patrimônio Histórico, de volta ao circuito de artes visuais da cidade.

São cerca de 30 obras que abordam como principal temática a memória, entrelaçadas a outros sentimentos como ausência, lembranças e esquecimento.

Até dia 17 de abril “Guerra do tempo”, ocupará, todas as dependências da Chácara Lane com instalações, vídeos e trabalhos da artista.

“No primeiro andar”, conta Marilá, “apresento uma obra inédita chamada ‘Demão’, palavra que, como se sabe, define a segunda mão de tinta que se passa sobre uma parede ou objeto”. Trata-se de uma instalação composta de grandes painéis em que foram escritas 48 frases de diversos momentos da história brasileira, dentre elas, “Independência ou Morte”, “Viva a República”, “O Petróleo é Nosso” e “Abaixo a Ditadura”. Uma demão de tinta cobre essas frases sem apagá-las totalmente. Tentativa de mostrar como seus significados são esquecidos, permanecem ou variam com o passar do tempo. “Numa sala ao lado, no vídeo ‘Hic et nunca’ (aqui e agora), vou escrevendo verbos com a mão direita, ao mesmo tempo em que a mão esquerda os apaga”, explica.

Fonte: Prefeitura do Município de São Paulo

Compartilhar: