1ª Semana de arte abre em São Paulo

Flávio de Carvalho, Retrato de Sérgio Milliet. (Detalhe). Galeria Frente

Flávio de Carvalho, Retrato de Sérgio Milliet. (Detalhe). Galeria Frente

De 14 a 20 de agosto, acontece na capital paulista, uma feira de arte com conceito curatorial inovador, cercada de eventos culturais por todos os lados.  A Semana de Arte se propõe a celebrar, discutir e ampliar um mercado que vem crescendo de forma ímpar nos últimos 15 anos, na cidade que se consolidou como seu epicentro.  A Semana começa com uma série de espetáculos exclusivos de artes cênicas, música, dança, cinema e literatura espalhados por diversos espaços, passa por um ciclo de debates com convidados internacionais, por uma série de tours arquitetônicos, e culmina na feira propriamente dita, que reunirá um seleto time de galerias do Brasil e do mundo.

As galerias foram selecionadas a dedo pelos idelizadores do evento – os galeristas Luisa Strina e Thiago Gomide, o empresário Emilio Kalil e o curador Ricardo Sardenberg – e oferecem um novo formato, em que os mercados primário e secundário não serão divididos em seções distintas e osestandes estarão dispostos de forma a criar um fluxo entre os espaços de cada expositor e um envolvimento mais profundo tanto com as obras à mostra quanto com a proposta das próprias
galerias. Todas apresentarão projetos especiais, sejam solos, diálogos entre dois artistas ou montagens focadas em temas específicos. Entre as principais
galerias estão Pinakotheke Cultural, Almeida & Dale, Galeria Estação e Galeria Frente de São Paulo, Ronie Mesquita, do Rio de Janeiro e Simões de Assis, de Curitiba.

Feira

Com duração de três dias, de 18 a 20 de agosto, a feira da Semana de Arte reunirá um seleto time galerias brasileiras e estrangeiras. A proposta é oferecer um novo formato, em que os mercados primário e secundário não serão divididos em seções distintas e os estandes estarão dispostos de forma a criar um fluxo entre os espaços de cada expositor e um envolvimento mais profundo tanto com as obras à mostra quanto com a proposta das próprias galerias. Todas apresentarão projetos especiais, sejam solos, diálogos entre dois artistas ou montagens focadas em temas específicos. Um conjunto altamente qualificado que oferecerá ao visitante uma experiência singular: mais do que uma feira, trata-se de um grande evento de artes.

Palestras

Um dia inteiro de palestras abre a programação de artes visuais da Semana.

Curadoria: Ricardo Sardenberg

Data: 15.08 (terça-feira)

Local: Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (Rua José Antonio Coelho, 879, Vila Mariana)

Entrada gratuita, sujeita à lotação do espaço

10h: Fernanda Brenner, do Pivô, e Bernardo José de Souza, da Fundação Iberê Camargo, conversam sobre modelos curatorias em instituções privadas sem fins lucrativos no contexto político brasileiro atual.

11h30m: o artista plástico Bernardo Ortiz fala sobre o exercício de caminhar pela paisagem atento à percepção – uma divagação que passa por descrição de cores e por questionamentos sobre como as coisas são construídas e como permanecem.

14h30m: O crítico e curador Paulo Sérgio Duarte e a curadora Maria do Carmo Pontes discutem a obra do artista Antonio Dias, que durante a feira terá um solo com trabalhos dos anos 1970 no estande da Galeria Nara Roesler.

16h30m: A historiadora de arte e curadora Isobel Whitelegg, diretora do MA Art Museum & Gallery Studies (School of Museum Studies, University of Leicester), apresenta a sua pesquisa sobre a História das bienais na America Latina nos anos 1970 e 1980, que termina com a Terceira Bienal de Havana, em 1989, provocando uma discussão sobre o significado da globalização para estas mostras.

Documentário

Exibição do documentário Maria – Não esqueça que eu venho dos trópicos, que resgata a vida e a obra de Maria Martins (1894-1973), reconhecida como uma das maiores escultoras brasileiras. Além de jogar luz sobre a monumentalidade e a ousadia do trabalho de Maria, que tratou diretamente da sexualidade com uma visão feminina, o filme oferece um mergulho íntimo no universo particular da artista: esposa de um grande diplomata brasileiro, ela manteve uma ligação amorosa de 20 anos com o artista francês Marcel Duchamp. Após a projeção, os diretores Francisco Martins e Elisa Gomes participam de um debate com Graça Ramos, autora do livro Maria Martins – Escultora dos trópicos.

Direção: Francisco C. Martins; codireção e Produção: Elisa Gomes; roteiro: Marta Góes, Idê Lacreta, Francisco C. Martins; entrevistas: Malu Mader; atores: Lucia Romano, Celso Frateschi; direção de Fotografia: Hugo Kovensky

Data: 19.08 (sábado)

Local: CineSesc (Rua Augusta, 2075, Cerqueira César)

Horário: 11h

Entrada gratuita, sujeita à lotação do espaço

Para mais informações e programação completa Clique aqui.

Compartilhar: