‘O céu de chumbo’ ilustrado por Caetano Dias

© Blau Projects

© Blau Projects

Caetano Dias realiza sua mostra “Céu de chumbo”, um compilado de trabalhos em fotografia, vídeos e objetos. O artista baiano realiza um trabalho que representa no seu interior a história de um lugar que já fora palco de guerra no sertão brasileiro, hoje esquecido pelo tempo.

Caetano, que não se prende a um suporte, sempre vagueando pelas possibilidades, exibe em sua exposição uma vídeo instalação chamada `Rabeca`, onde o andarilho percorre o sertão da Bahia, especificamente cidades como Xique-Xique, Canudos e Correntina. Três projetores exibem lado a lado o documentário, que te leva a transitar pelas três projeções naturalmente, onde um cena é complementada pela cena seguinte na outra tela. O som da rabeca e dos cantos transportam o espectador a um espaço escasso.

Em conversa com a vídeo-instalação, surgem instrumentos sonoros criados pelo artista, que faz do espaço o corpo. Caetano não só pensa em uma criação como também na sua interação, dispondo-os de serem tocados, afinados, podendo até interferir na vídeo-instalação.

As fotografias justificam o título da exposição “Céu de chumbo” em paisagens e encenações do artista registrados no sertão baiano. Em “entre terras e águas”, duas fotografias: em uma o artista rega o sertão com água. Noutra, Caetano rega o mar com terra. Um encontro pouco apreciado em diversas regiões do nordeste brasileiro, onde a seca é um problema gravíssimo.
Na obra que dá nome à exposição, uma imagem é desfragmentada e disposta em diversas molduras – arredondadas, ovaladas – antigas que endossam certas características da paisagem baiana.

A exposição fica até o dia 19 de novembro na Blau Projects

Compartilhar: