Nina Pandolfo expõe em Nova Iorque

© Divulgação

© Divulgação

Nina Pandolfo apresenta a exposição ‘Little things for life’ na galeria Coburn Projects, em Nova Iorque, a partir de 6 de novembro. Ao todo, serão apresentadas seis obras inéditas, todas em técnica mista e que poderão ser vistas até 30 de novembro. Pela terceira vez Nina expõe na cidade americana e conta que, para essa mostra, a leveza, a beleza da simplicidade e a percepção apurada em pequenos detalhes do cotidiano, serviram de inspiração para suas criações. “Algumas vezes deixamos que pequenos detalhes, pequenas coisas, passem despercebidos em nossas vidas, e muitas vezes são nestes pequenos detalhes que encontramos alegria, paz, um momento de pureza”, pontua a artista que procura um contraponto para o agito, para o estresse da vida moderna, “online 24 horas.” E desabafa: “A quantidade de informações as quais temos acesso por dia, muitas vezes nos faz esquecer como é lindo deitar na grama e olhar uma copa de árvore de baixo para cima e ver as formas que elas fazem. Quando somos crianças, tudo isto nos maravilha, transforma nosso dia em um dia especial, e deixamos isto de lado, ficamos mais difíceis de nos impressionar.”

Sempre com um toque lúdico, bastante característico em seus trabalhos, as belas meninas de olhos grandes e brilhantes, em sua maior parte ladeadas de belos animais, como peixes e gatos, além de gratos insetos como borboletas e libélulas, ganharam para essa mostra algo a mais: uma tinta especial que absorve a luz e que manterá as obras iluminadas no escuro, leves, flutuantes. Uma incrível paleta de cores se mistura às novas formas, ora infantis, ora sensuais, e dão vida às típicas meninas das telas. Tão vivas, aliás, que se tem a impressão que vão falar a qualquer minuto. Para Nina, a constante busca de novos materiais e novos suportes para seu trabalho são alguns dos diferenciais de suas obras e, exclusivamente para essa mostra, a tinta que se ilumina no escuro vai surpreender e alegrar aos expectadores. Contudo, mesmo com o reconhecido talento, a artista espera que todos possam captar, sentir o “turbilhão de sentimentos que coloco em cada tela”, completa.

Além das obras, Nina também vai assinar um mural na mesma rua em frente à galeria. A ideia é que ambos, mural e galeria, estejam interligados, uma vez que, segundo a artista, a inspiração é a mesma para todas essas criações. Utilizando spray, ela conta que teve vários desafios para desenvolver o desenho para esse mural que conta com quase cinco metros de comprimento, mas percebeu frente a algumas dificuldades que poderia se beneficiar e obter um resultado ainda melhor. “A parede desse mural dificulta a pintura, pois tem muitos rebaixos, desníveis e relevo. Mas criei a obra pensando em aproveitar tudo isso! Existe uma porta de aço com a caixa que recolhe esta porta para o lado de fora e vou aproveitar isso também e fazer como se tivessem enrolado uma parte da parede deixando o fundo igual ao do prédio que é de tijolo à vista, ou seja, pintarei a porta de aço igual a parede do prédio”, revela Nina. Assinar o muro em frente à galeria já é quase uma tradição. Nomes como Andrew Poneros, Pryce Lee, Olaf Breuning e RETNA já criaram obras e tiveram seus nomes assinados no mural.

Compartilhar: