Galeria Matias Brotas leva obras de arte para a Casa Cor ES 2015

© Divulgação

© Divulgação

A Galeria Matias Brotas Arte Contemporânea leva arte de peso para mais uma edição da Casa Cor ES. E além de suportes artísticos variados como pintura, gravura, fotografia, escultura, e uma seleção de artistas consagrados no mercado, sem dúvidas um dos destaques é a apresentação em primeira mão de obras inéditas. Ou seja, até o dia 10 de novembro, no Praia Tênis Clube, Vitória, os visitantes vão poder conferir em alguns ambientes obras de arte nunca antes expostas.

Os espaços de Letícia Finamore, Amanda Abranches, Junior Torezani e Victor Sarcinelli vão contar com uma seleção de obras de artistas do cenário da arte contemporânea atual como Antonio Bokel, Ana Holck, Mai-Britt Wolthers, Renan Cepeda, José Bechara, Manfredo de Souzanetto, Lara Felipe, Renata Egreja, entre outros.

No ambiente ‘Lounge Gourmet’ de Letícia Finamore, logo acima do sofá, a pintura do carioca Antônio Bokel, um tríptico de técnica mista e concreto, chama a atenção. A obra de arte é um embate entre o concreto e a natureza, o crescimento urbano e a sustentabilidade. Bokel é um dos artistas selecionados pela galeria a fazer parte da 3ª edição do Clube do Colecionador de Arte. Ele foi indicado ao PIPA 2015 e possui obras nas maiores coleções brasileiras como a de Gilberto Chateubriand, BGA Investimentos e no acervo do MAM, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Uma série de oito gravuras em metal da série ‘Equivalências’ da artista dinamarquesa Mai-Britti também é destaque no espaço. Morando no Brasil desde os anos 80, Mai-Britti com suas longas pinceladas coloridas expande sua obra em direção à abstração, num constante trabalho focado na experiência do processo. Realizou diversas exposições individuais e possui trabalhos no acervo da Prefeitura Municipal de Gribskov – Dinamarca, Centro Cultural dos Correios – Rio de Janeiro, Museu de Arte Contemporânea – Campo Grande e Instituto Figueiredo Ferraz – São Paulo.

Ainda no espaço de Letícia Finamore está uma instalação da artista carioca Ana Holck feita de aço corten, corpo de prova e cabo de aço. Ana já ganhou vários prêmios como I Prêmio Itamaraty de Arte Contemporânea e o Prêmio Funarte de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça. Possui trabalhos nas coleções Itaú Cultural, Pinacoteca de São Paulo, MAM São Paulo, MAM Rio de Janeiro (col. Gilberto Chateaubriand), MAC-Niterói e no Ministério das Relações Exteriores (Brasília, DF). Ana Holck pertence a uma espécie preciosa na arte contemporânea, particularmente cara à tradição brasileira: assimila o que há de melhor na tradição concreta e neoconcreta, reelabora-o e o transfigura para as exigências de questões poéticas atuais.

Uma fotografia do capixaba Orlando da Rosa Farya também está no espaço. Da série ‘autorretrato’, a fotografia traz a imagem do artista refletida na árvore como sombra,q eu sob seu olhar vira arte.

A Galeria Matias Brotas também selecionou obras de arte para o ambiente de Amanda Abranches, o espaço ‘Hall Íntimo do Jovem’. Sete aquarelas de Renata Egreja, uma fotografia de Renan Cepeda, e o livro/objeto de Rosana Paste e outro de Lara Felipe compõem com harmonia o ambiente. Destaque para a fotografia inédita de Renan Cepeda, que faz parte da série “Bucólica” que o artista vem desenvolvendo recentemente com uma ideia de representação do bucólico sob a técnica fotográfica de infravermelho, que realça a presença da vegetação sobre outros materiais, conferindo às cenas fotografadas uma atmosfera onírica, como de um sonho.

Já as aquarelas de Renata Egreja, ela emprega cores que povoaram sua infância, formas naturais exuberantes, uma luz clara que faz pensar no sol dos trópicos, uma pintura, segundo ela, cheia de energia vital. O livro de chumbo de Rosana Paste também se destaca como objeto no espaço, feito de chumbo, pele de coelho e prata. Outro objeto no ambiente, feito de arame, tecido, papel e cera de abelha, é de Lara Filipe, chamado ‘ Para todas as coisas esquecidas’, obra que foi apresentada na última exposição O peso exato dessa leveza, na Matias Brotas Arte Contemporânea. A obra possui como tema central a melancolia, de uma forma poética, passando entre dor e o lúdico.

No ambiente ‘Flat Cosmopolita’ de Junior Torezani e Victor Sarcinelli, uma pintura com técnica mista da dinamarquesa Mai-Britt Wolthers, uma pintura do renomado José Bechara que utiliza o processo de oxidação sobre lonas de caminhões como base do trabalho, são alguns dos destaques. Mas a escultura em madeira de Manfredo de Souzanetto também é um convite à observação. O artista desenvolve como um jogo de virtualidade e concretude, onde muitas vezes a moldura ultrapassa o limite da pintura e o suporte se fragmenta, refletindo a busca de novas possibilidades. Em sua obra tridimensional há um constante vai e vem entre a sensualidade da curva e a aresta viva do ângulo agudo, a vibração da cor e a superfície da matéria, o orgânico e o geométrico.

Espaços e obras da Matias Brotas Arte Contemporânea na Casa Cor 2015
LOUNGE GOURMET – LETICIA FINAMORE

– Antonio Bokel (pintura – tríptico)
– Mai-Britt Wolthers (gravura em metal)
– Orlando da Rosa Farya (fotografia)
– Ana Holck (instalação)

FLAT COSMOPOLITA – VICTOR SARCINELLI E JUNIOR TOREZANI –

– Mai-Britt Wolthers (pintura – técnica mista)
– José Bechara (pintura)
– Manfredo de Souzanetto (escultura)

HALL ÍNTIMO – AMANDA ABRANCHES

– Renata Egreja (aquarela)
– Renan Cepeda (fotografia)
– Rosana Paste (objeto)
– Lara Felipe (objeto)

Compartilhar: